Moção de solidariedade à Greve Nacional dos Professores de Angola

A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação – CNTE, entidade representativa de mais de 4,5 milhões de trabalhadores das escolas públicas brasileiras de nível básico, vem a público manifestar o seu apoio à Greve Nacional dos professores de Angola, convocada pelo Sindicado Nacional de Professores de Angola – SINPROF, para os dias 05, 06 e 07 de abril.
A luta por uma educação pública e de boa qualidade ultrapassa fronteiras em tempos em que a ameaça da privatização e da mercantilização não poupa nenhum país do mundo. Os companheiros professores de Angola reivindicam, entre outras coisas, reajuste salarial e melhoria nas suas condições de trabalho.
Em evento recente, na realização do Seminário Internacional que antecedeu o 33º Congresso Nacional da CNTE, em janeiro último, representantes sindicais de trabalhadores em educação dos cinco continentes, dentre os quais os companheiros do SINPROF, compartilharam suas experiências e dificuldades em relação às condições educacionais dos trabalhadores da educação em seus países. A situação de Angola, país irmão do Brasil, pelo qual nutrimos profundas identificações sociais e culturais, preocupou a todos.
A situação da educação pública deste grande país é estarrecedora. Agora, nesse último mês, em decorrência de sua atividade sindical, os professores de Angola sofrem retaliações de toda ordem para não participarem da greve por parte de seu próprio governo, que, pasme, faz parte da atual composição do Conselho de Administração da Organização Internacional do Trabalho – OIT. Eles ameaçam com a possibilidade de colocar policiais nas escolas. Trata-se de uma afronta à liberdade sindical.
Não admitiremos, em nenhuma parte do mundo, tal descalabro! Os trabalhadores em educação do Brasil colocam-se solidários aos seus companheiros professores de Angola. O livre exercício da atividade sindical deve ser assegurado pelo próprio Estado sob risco de comprometer, em última instância, o próprio sistema democrático. Não nos furtaremos a denunciar qualquer violação a esse sagrado direito!! Todo apoio aos companheiros professores em luta de Angola!!
Brasília, 04 de abril de 2017
Diretoria Executiva da CNTE

Skip to content