Moção de repúdio contra a prefeita de Icó (CE)

A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação – CNTE, entidade representativa dos profissionais do setor público da educação básica brasileira, REPUDIA a ação truculenta da prefeita do município de Icó/CE, Laís Nunes, contra os/as professores/as que, de forma legítima, protestavam contra a votação de um decreto pela Câmara Municipal da cidade que propõe a redução dos salários de 362 professores/as de sua rede municipal de educação.
No último dia 19 de fevereiro, dia de votação na Câmara Municipal do decreto proposto pela administração do município de cortar os salários dos professores da cidade, foi convocada uma manifestação de repúdio a essa medida, fato corriqueiro nas sociedades democráticas. Mas não para a prefeita da cidade: Laís Nunes (PDT), prefeita de Icó, decidiu convocar a Guarda Municipal por meio de seu Secretário de Segurança Pública, Sargento Geilson Lima, para defender o patrimônio da Câmara de Vereadores.
Esqueceram que a principal função do administrador público, mais do que defender patrimônios, é defender e salvaguardar a vida de seus cidadãos. Notícias dão conta que a prefeita autorizou de forma clara a atirar nos manifestantes e usar spray de pimenta. O sargento obediente, também pouco conhecedor de suas funções públicas, a obedeceu: transformou uma manifestação legítima em um ato de guerra, com deferimentos de toda ordem de violência. As imagens são estarrecedoras! Uma violência descomunal usada contra educadoras e educadores da cidade.
Os/as trabalhadores/as em educação de todo o país se indignam com tamanha violência e exigem dos órgãos competentes a apuração de tamanha barbaridade que se acometeu e foi perpetrada em um ambiente legítimo de uma sociedade democrática. Exigimos que o Ministério Público apure o ocorrido e responsabilize a administração pública do município de Icó, por meio de sua Prefeita e de seu Secretário de Segurança Pública, que desonram a função que exercem.
A incapacidade de administrar e lidar com conflitos não os autorizam a massacrar o seu povo! Os /as educadores de todo o Brasil se solidarizam com os/as lutadores/as sociais de Icó/CE que sofreram tamanha violência e, de forma contundente, exigem a apuração e a responsabilização por esses atos tão bárbaros. A Prefeita de Icó e seu Secretário de Segurança Pública não têm mais condições morais de permanecerem em seus cargos! Basta de truculência!
Brasília, 22 de fevereiro de 2018
Diretoria Executiva da CNTE

Skip to content