Moção de repúdio à agressão física do prefeito de Moreno/PE aos professores/as do município

A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação – CNTE, entidade representativa dos profissionais do setor público da educação básica brasileira, REPUDIA de forma veemente a agressão do prefeito da cidade de Moreno/PE, Vavá Rufino (PTB), perpetrada contra professores/as municipais que se encontravam em legítimo movimento de reivindicação salarial.
No dia 25 de julho, os/as professores/as municipais estavam realizando uma atividade para pressionar a gestão municipal a cumprir a lei e, seguindo a Lei do Piso Salarial Profissional Nacional do Magistério Público de Nível Básico, reajustar os vencimentos da categoria em 6,81%. Em uma legítima manifestação, os/as professores/as encontravam-se mobilizados na prefeitura da cidade cobrando o cumprimento da legislação, em um ato absolutamente corriqueiro e normal. Em uma ação totalmente destemperada e desequilibrada, o prefeito partiu para agressões físicas contra professores que estavam no local tentando ligar o equipamento de som do ato. A agressão foi registrada por fotos e presenciada por todos que se encontravam no local.
Não é possível e tampouco aceitável que um gestor municipal não saiba lidar com manifestações sociais legítimas, ações essas protagonizadas por seus servidores, a quem o prefeito tem a obrigação, por dever de convívio diário, de respeitar e valorizar em seu exercício profissional. O desequilíbrio emocional do prefeito de Moreno não se sobreporá ao descumprimento de sua gestão na concessão do reajuste legal a que os/as professores/as de seu município têm direito por lei. E tampouco sua ação violenta contra aqueles a quem ele devia valorizar irá alterar o fato de que, diante do reajuste legal e necessário de 6,81%, a sua desastrosa gestão ofereceu somente 2,95% de reajuste, não aceito pelos/as professores/as e, por isso, ainda nunca pagos.
Ora, como aceitar um reajuste salarial tão indigente? Como não reivindicar o percentual assegurado por lei? Ou o prefeito Vavá Rufino aprende a lidar com suas emoções e a respeitar as manifestações legítimas dos/as servidores/as e trabalhadores/as de seu município, ou assuma que não tem condições para exercer o cargo que ora ocupa.
Os/as educadores/as de todo o Brasil repudiam a ação do prefeito contra professores/as de seu município, exigem uma reparação pública do gestor e se solidarizam com os profissionais agredidos. Uma boa educação começa pelo bons tratos e respeito entre as pessoas, especialmente daqueles de onde deveriam vir os melhores exemplos.
Brasília, 26 de julho de 2018

Skip to content