Mantido ato no dia 19 contra a reforma da Previdência

O diretoria colegiada do Sinpro mantém a convocação da categoria para ato no dia 19 (segunda-feira), a partir das 17h, no Museu da República, contra a reforma da Previdência – colocada em pauta de votação da próxima semana na Câmara dos Deputados.
O Sindicato também solicita a todos a e todas manterem a mobilização. Caso o governo golpista insista em votar a contrarreforma previdenciária, o Sinpro chamará uma paralisação.
O reforço desta convocação ocorre em razão de o governo federal ter decidido fazer intervenção na segurança no Estado do Rio de Janeiro. Pela Constituição, nenhuma Proposta de Emenda Constitucional (PEC) – como o caso da previdenciária – pode ser votada quando um ente federado está sob intervenção.
Aparentemente, a intervenção poderia inviabilizar a votação da contrarreforma da Previdência. Mas só aparentemente. Nada impede que o golpista Temer suspenda momentaneamente o decreto que institui a intervenção apenas para que a votação ocorra na Câmara. Em seguida, basta republicar o tal decreto.
Por isso mesmo, o Sinpro reforça a necessidade de a categoria manter a mobilização e seguir os atos programados pelo Sindicato.
Perigo iminente – A PEC 287/2016 prevê aumento tanto do tempo de contribuição quanto da idade para se ter direito à aposentadoria e a diminuição do valor do benefício.
“Vale lembrar que a reforma alcança a todos, todos têm a perder, sobretudo os que estão para se aposentar nos próximos meses. Em 2017, tivemos 1.400 aposentadorias. Se não tivéssemos feito toda a luta no passado, esses educadores estariam de alguma forma prejudicados na remuneração, na perda da paridade, por exemplo. Temos que assegurar nossos direitos e a nossa aposentadoria”, alerta a diretoria colegiada do Sinpro, lembrando que a categoria deve ficar atenta aos meios de comunicação do Sindicato para mais informações, esclarecimentos e orientações.

Skip to content