Mais de 30 estudantes do CEM 02 de Ceilândia são aprovados no PAS/UnB

Na última semana, estudantes do Distrito Federal aguardavam ansiosos o resultado do Programa de Avaliação Seriada da Universidade de Brasília (PAS-UnB). Trata-se de um processo seletivo que visa o ingresso nos cursos de graduação presenciais da UnB, realizado ao longo dos três anos do ensino médio regular. Ao todo, quase dois mil estudantes foram convocados para o início das aulas no 1° semestre de 2020.

O Centro de Ensino Médio (CEM) 02 de Ceilândia, por exemplo, levou 35 alunos à Universidade de Brasília e, de acordo com o diretor da escola, Eliel de Aquino, este número deverá aumentar com a divulgação do resultado da 2° chamada.

“Estamos aguardando os próximos resultados para fazermos um levantamento completo e contabilizar também aqueles que passaram para instituições particulares. Para mim, esse resultado significa, sobretudo, que estamos no caminho certo. Queremos aprimorar ainda mais o nosso trabalho, com foco em resultados mais arrojados e aumentar o número de vagas preenchidas pelos nossos alunos”, explicou Eliel de Aquino.

Ainda de acordo com diretor Eliel, o resultado alcançado só foi possível graças ao trabalho em equipe realizado pelos profissionais que atuam na unidade escolar.   Durante todo ano letivo, a escola conta com diversos projetos focados nesse objetivo como, aulas preparatórias para o PAS, Projeto Sarau, Festival de Curtas, além de envolver os alunos com as obras do PAS, simulados e muito mais.

“Nossa metodologia dá aos estudantes a oportunidade de vivenciarem situações  mais próximas possíveis do que eles encontrarão no vestibular, mais especificamente, o PAS, isso dá um suporte aos que fazem a prova. Também procuramos envolver todos em uma atmosfera que permita desmistificar as dificuldades das provas e isso tudo tem gerado bons frutos”, esclarece.

Ao longo dos anos, o Centro de Ensino Médio 02 de Ceilândia tem apresentado um número significativos de aprovação, tanto para a UnB quanto para as demais universidades particulares. Nos últimos três anos, mais de 100 alunos da escola ingressaram na UnB.

Para a professora de Sociologia, Regina Cotrim, a Escola Pública conta com ótimos profissionais, mas ainda há um longo caminho a percorrer rumo à valorização. Para ela, é fundamental o investimento constante em capacitação, busca por melhores salários, bem como a luta contra a desigualdade.

“Tem sido uma felicidade muito grande ver nossos estudantes entrando na UnB. Desde 2015, um número expressivo de estudantes da nossa escola tem conquistado vagas na UnB e em outras instituições públicas como, na ESCS (Escola Superior de Ciências da Saúde) e no IFB (Instituto Federal de Brasília). Como professora, sinto-me realizada e motivada para continuar trabalhando com mais afinco. Trabalho em uma escola onde tenho muitos colegas comprometidos com a escola pública e isso é muito gratificante. Apesar de todas as dificuldades, nossos estudantes estão firmes e fortes na UnB e demais instituições”, concluiu Regina.

Professora Regina Cotrim comemora o resultado com estudantes

Depois da aprovação, a festa

O estudante Thasso Veras, de 18 anos, conta que quando viu seu nome na lista de aprovados não acreditou.  A alegria que tomou conta do futuro enfermeiro, irradiou amigos e familiares que, prontamente, prometeram apoiá-lo nessa nova etapa.

“Escolhi enfermagem porque sempre me identifiquei com a área. Me fascina o trabalho feito pelos profissionais da saúde. Sonho poder ajudar as pessoas quando elas mais precisarem. Sei que será um desafio conciliar os estudos com a vida pessoal, mas vou me esforçar muito para ser o melhor profissional. O dia em que vi meu resultado ficará marcado para sempre em minha memória”, afirmou.

Thasso Veras durante comemoração da aprovação

Já para Eduarda Araújo, de 17 anos, aprovada para o curso de Jornalismo, a emoção de ser a primeira de sua família a ingressar com mérito no Ensino Superior é imensurável.  Ela afirma que o misto de sentimentos que está sentindo pode ser resumido em duas palavras: valeu a pena.

Comunicativa e espontânea, Eduarda conta que apesar do cenário conturbado que o meio jornalístico brasileiro enfrenta, escolher o jornalismo foi uma decisão certeira. O que a motivou, sem dúvidas, foi a paixão pela área.

“Mais que profissão, vejo a carreira que escolhi como uma missão. Sei que posso ser e fazer a diferença. Amo trabalhar com pessoas e quero poder contar histórias. A UnB sempre foi  meu sonho e eu vou segui-lo mesmo que para isso seja necessário abrir mão de algumas coisas”, concluiu.

Eduarda Araújo é a primeira de sua família a ingressar no Ensino Superior

Tanto para Thasso, quanto para Eduarda, além do apoio irrestrito da família, o suporte prestado pelo Centro de Ensino Médio (CEM) 02, por meio de projetos enriquecedores foi fundamental para garantir a aprovação.

A diretora do Sindicato dos Professores no Distrito Federal (Sinpro-DF), Eliceuda França parabeniza toda a equipe do CEM 02 e aos estudantes por essa importante conquista.

“O Sinpro-DF sempre defendeu a luta pelo acesso de estudantes da rede pública às universidades federais. Hoje, colhemos bons frutos, resultados de políticas inclusivas de cotas, conquistadas com muita determinação. O CEM 02 de Ceilândia, assim como muitos outros centros de ensino médio, são bons exemplos. Nos orgulhamos de nossa juventude, de nossos(as) educadores(as) e gestores(as) que enfrentam obstáculos e, mesmo assim, continuam incentivando e reafirmando a educação pública como alternativa para uma vida cidadã e mais feliz”, concluiu.

 

Skip to content