Intransigente, prefeito de Formosa corta salários de servidores em greve

O prefeito de Formosa, Itamar Barreto (PSD), mais uma vez agiu com intransigência contra o funcionalismo municipal. Além da recusa em dialogar e apresentar propostas que contemplem a categoria, o governo local foi ainda mais radical e efetuou o corte de 15 dias na folha de pagamento dos servidores públicos municipais.
Após a notícia de corte na remuneração dos trabalhadores, os advogados que representam o Sinprefor imediatamente entraram com ação na justiça para exigir a devolução dos salários do funcionalismo.
Para Suyenne Borges, secretária geral do Sinprefor – sindicato que representa a categoria – esta iniciativa comprova a incompetência do governo local, “Estamos revoltados com essa situação, ao invés de negociar o prefeito quer nos punir e perseguir, é lamentável”, disse.
Segundo a dirigente, a postura do prefeito Barreto é totalmente intolerante, pois não foi comprovada a ilegalidade da greve do funcionalismo de Formosa. De acordo com Suyenne Borges, o governo afirma ter cortado apenas 15 dias, porém, alguns servidores receberam ao final do mês de fevereiro apenas R$ 20.
Entre as principais reivindicações dos trabalhadores estão: o reajuste retroativo a todo ano de 2015, a negociação de pisos salariais e da pauta de reivindicações relativa à data-base/2016. Os servidores estão desde 2014 sem reajustes.
A única proposta apresentada pela Prefeitura não contempla as necessidades dos servidores. O governo local ofereceu um reajuste de apenas 10% aos professores que recebem abaixo de 2 mil reais, 20% de gratificação de periculosidade aos funcionários da garagem. Para os servidores de outras categorias, como de saúde e administração, não há proposta.
Revoltados com o desfalque no orçamento, por unanimidade, o funcionalismo decidiu permanecer em greve. Os servidores decidiram isso em assembleia geral que aconteceu nessa sexta-feira (4).
A greve do funcionalismo completa 48 dias e as mobilizações continuam firmes. Nesta segunda-feira (7), o funcionalismo se reuniu na praça da prefeitura, às 14h, para protestar contra os cortes e reivindicar os direitos não pagos. Além de protestarem contra a intransigência do governo local, o Sinprefor e todos os servidores em greve venderão doces pelas ruas de Formosa para formar o fundo de greve. A ação solidária é uma tentativa de minimizar os impactos sofridos pelos trabalhadores que foram drasticamente prejudicados pelo corte na remuneração.
Dia das mulheres 
Em comemoração ao dia Internacional da Mulher, o Sinprefor realiza um grande ato público às 14h próximo a Escola Presidente Vargas. O encontro denominado Dia da Luta das Mulheres contará com a participação do dos servidores e população.

Skip to content