Histórias de emoção, superação e luta marcam abertura do V Encontro de Mulheres

DSC_8435
Lançamento da 2ª edição da revista Sinpro Mulher no V Encontro de Mulheres Educadoras, no Espaço Educador Chico Mendes, na Chácara do Professor

Marcada pela emoção, a abertura do V Encontro de Mulheres Educadoras do Sinpro-DF trouxe três histórias de mulheres negras que encontraram a superação do preconceito e da exclusão social na educação pública e gratuita e a liberdade de construir sua subjetividade e profissionalismo na sala de aula, por intermédio da atuação político-pedagógica de professoras e professores. Ao final das atividades dessa sexta-feira (19), a diretoria colegiada do Sindicato participou do lançamento da segunda edição da revista Sinpro Mulher. O encerramento ficou por conta da apresentação do grupo de cultura popular Tambor de Crioula do Mestre Teodoro.
Cleusa Maria Santos, presidente do Sindoméstico da Bahia, contou a sua história de luta e de enfrentamento do racismo e da discriminação de gênero que viveu e ainda vive no mercado de trabalho doméstico da capital baiana. As superações são tantas diariamente que ela se tornou exemplo de vida e de luta, uma liderança sindical. Após anos de batalha, ela entendeu que somente por meio da educação poderia superar todo tipo de exclusão que a impedia de viver. somente agora, ela estuda psicologia em Salvador.
Cristiane Sobral, autora dos livros “Não vou mais lavar pratos”, “Só por hoje vou deixar meu cabelo em paz” e “Espelhos, miradouros, dialéticas da percepção”, também contou um pouco de sua história e os motivos que a levaram a escrever poemas libertários sobre ser mulher negra e pobre no Brasil racista, machista e excludente. Ela disse que a superação faz parte da vida dela desde que nasceu, quando foi encontrada por moradores do bairro em que residia numa lata de lixo. Aos seis anos perdeu a mãe adotiva. E, de lá para cá, sua vida inteira foi construída por meio da educação, dentro das escolas que possibilitaram seu crescimento intelectual e profissional.
Gina Albuquerque, professora da rede pública de ensino do Distrito Federal, também fez um breve relato de sua vida e disse que, após ler os livros de Cristiane, assumiu a sua negritude de todas as formas e resolveu deixar o cabelo em paz não apenas por hoje, mas por toda a sua vida. “Depois que li a obra de Cristiane, tudo mudou na minha vida”, afirmou. Gina falou sobre suas superações por meio da educação, apresentou uma foto da professora que a levou a amar o magistério. “Foi ela que me influenciou, juntamente com minha mãe e meu pai, a amar a educação. E do alto dos meus 8 anos de idade decidi ser professora”, lembrou. Ela falou sobre as novas formas de ofensa e discriminação de mulheres e de meninas e demonstrou isto por meio da apresentação do seu premiado e transformador trabalho pedagógico “Mulheres Inspiradora”.
Eliceuda França, Neliane Cunha e Vilmara Carmo, diretoras da Secretaria de Mulheres Educadora do Sindicado, dividiram o espaço da Mesa de abertura com Isis Tavares, secretária de Gênero da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE); Maria Júlia Nogueira, secretária Nacional de Combate ao Racismo da CUT Nacional; e Izaura Oliveira Santos, secretária de Mulher da CUT Brasília. Elas realizaram uma análise da situação da educação, do movimento sindical e da necessidade de fortalecimento da luta das mulheres na categoria docente, “sobretudo agora, com esse Congresso Nacional e Câmara Legislativa com parlamentares conservadores”.
Após os debates e os relatos de experiência de vida, três participantes foram homenageadas com o III Prêmio Mulher Educadora – Cidadã do Mundo: Cristiane Sobral, Isis Tavares e Maria Júlia Nogueira. A diretoria colegiada do Sinpro-DF se reuniu ao final das atividades dessa sexta-feira (19) do V Encontro de Mulheres Educadoras para lançar a edição 2015 da revista Sinpro Mulher. Estiveram presentes e participaram do lançamento da segunda edição da revista Sinpro Mulher, além das três diretoras da Secretaria de Mulheres Educadoras, as (os) integrantes da diretoria colegiada do Sinpro-DF Zezé, Sílvia, Meire, Meg, Vilmara, Fatinha, Neliane, Eliceuda, Berenice, Rosilene, Cirane, Marco Aurélio, Delzair, Geraldo, Júlio, Regina e Luciana (Fotos da esquerda para a direita).
Confira a seguir, nas fotos de Deva Garcia, um pouco das imagens que marcaram as atividades da noite dessa sexta-feira (19):
 

Skip to content