Governo de SP anuncia retorno das aulas com rodízio de estudantes

Durante a manhã dessa quarta-feira (24) o governo de São Paulo anunciou a retomada das aulas presenciais na rede de ensino a partir do dia 8 de setembro. Segundo o secretário de Educação do estado, Rossieli Soares, o plano prevê um retorno geral, em conjunto para todas as cidades, e estabelece uma série de protocolos de higiene e distanciamento que deverão ser cumpridos pelas escolas.

O projeto desenhado pelo governo de SP foi definido em três etapas, com o crescimento gradual do número de estudantes em sala de aula. A primeira etapa estabelece um retorno de até 35% do público para garantir um distanciamento de 1.5 metro. O distanciamento tem exceções, como é o caso da educação infantil e das creches, uma vez que não há como aplicar a medida entre bebês e cuidadores.

Na segunda etapa, 70% dos estudantes voltarão às escolas para as aulas presenciais e, na terceira, 100% de ocupação das salas. Caso alguma cidade sofra algum tipo de regressão na classificação de reabertura, ela será considerada como exceção dentro do plano e deverá suspender as atividades.

 

Pico de contaminação

O anúncio vem no momento que especialistas começam a avaliar que São Paulo atingiu o pico de contaminação da COVID-19. Segundo os especialistas, neste momento o estado está no chamado Platô, que é o termo dado quando existe a tendência que nos próximos dias (julho) a epidemia comece a diminuir, permitindo que em setembro seja possível retomar as aulas nas escolas públicas e privadas.

Observe que o tempo entre estar no Platô e o retorno das aulas é de dois meses, segundo o planejamento de São Paulo. Este é o tempo necessário para que os números de contaminações e óbitos reduzam gradativamente.

Skip to content