GDF recebe trabalhadores, mas não aponta data para pagamento das dívidas

Centenas de professores da rede pública de ensino do Distrito Federal se concentraram na manhã dessa terça-feira (6) na Praça do Buriti para, mais uma vez, reivindicar o pagamento do 13° salário dos aniversariantes do mês de dezembro, das férias e dos valores referentes à rescisão de contrato dos professores temporários.
“Somos uma categoria única. Estamos aqui lutando para que todas as pendências sejam resolvidas, inclusive as dos contratos temporários. Não vamos permitir que a educação seja colocada como prioridade apenas na teoria”, afirmou Júlio Barros, dirigente do Sindicato dos Professores, Sinpro-DF.
Em apoio aos educadores e aos servidores da saúde, que possuem as mesmas pendências junto ao GDF, a CUT e representantes de dez sindicatos filiados à Central se somaram ao ato público. Trabalhadores terceirizados que prestam serviço a órgãos públicos do DF e também têm pendências junto ao governo local, ampliaram a ação. “A participação de outras categorias no ato de hoje mostra a solidariedade de classe, um dos pilares da CUT. Somente assim poderemos avançar”, afirma o presidente da CUT Brasília, Rodrigo Britto.
A ação dos trabalhadores resultou no recebimento de lideranças sindicais por representantes do governo. Duas reuniões foram realizadas simultaneamente: uma para tratar do débito do GDF com os professores, e outra que abordou a questão dos trabalhadores terceirizados.
Apesar da abertura do diálogo com as categorias, o novo governo do Distrito Federal mantém a justificativa de que não possui verba suficiente para resolver as pendências,  mas realizará todos os esforços necessários para solucionar a demanda o mais rápido possível.
Nesta quarta- feira (7), a direção do Sinpro se reunirá para avaliar o resultado da reunião com o GDFe definir novos encaminhamentos. No mesmo dia, o Sindiserviços, que representa os trabalhadores terceirizados, se reunirá com o governo local, às 10h, no Palácio do Buriti.

Skip to content