GDF encerra mandato causando prejuízos aos professores(as) e orientadores(as) educacionais

repudio internaO governador Agnelo Queiroz termina seu mandato causando prejuízos a mais de 10 mil profissionais do magistério público do DF.  Após  a realização de atos e reuniões entre o Sinpro e  representantes do GDF (incluindo o próprio governador), o governo não concretizou compromissos assumidos durante as negociações e deixa grande parcela da categoria, entre efetivos e temporários, sem o pagamento do 13º salário. O Sinpro repudia o injustificável comportamento do governo de subtrair destes profissionais do magistério o direito fundamental de usufruir do salário a que tem direito.
Salário é direito fundamental de cada trabalhador e trabalhadora, além de obrigação prioritária do governo. Por esta razão, o Sinpro mobilizou a categoria para realização de atos públicos para garantir o crédito de pagamento de dezembro, ações para garantir os acertos devidos de aposentadorias de setembro e outubro, atos para exigir o pagamento do 13º salário de profissionais efetivos(as) e temporários(as), além de várias reuniões entre o Sindicato e representantes do governo. Todas estas ações políticas visavam pressionar  o Governo do DF a cumprir a lei.
Com estas ações de mobilização foi possível garantir o crédito de pagamento do mês de dezembro e o acerto financeiro dos/as profissionais aposentados/as entre agosto e setembro.O crédito do 13º salário dos/as aniversariantes de dezembro, bem como os acertos financeiros para os aniversariantes de janeiro a agosto, em decorrência de diferenças ocorridas por ocasião do reajuste salarial de 2014, não se concretizou, apesar das inúmeras datas fixadas pelo próprio GDF para realização do crédito. Em razão de tais descumprimentos, o Sinpro ingressou, no dia 24/12, com uma ação na justiça, com pedido de liminar (2014.01.1.201106-8/TJDFT), para que o GDF fizesse o crédito do 13º salário imediatamente.
O Sinpro repudia o descaso deste governo que se encerra, subtraindo pagamento dos(as) professores(as), algo primordial para todo(a) trabalhador(a).

Skip to content