GDF anuncia crédito do pagamento do salário de dezembro nesta quarta (14)

O Governo do Distrito Federal (GDF) divulgou nota confirmando o pagamento do salário de dezembro na noite desta quarta-feira (14). Além do salário dos servidores (as) efetivos (as), o governo informa que irá pagar também as rescisões contratuais dos (as) professores (as) em regime de contratação temporária.
Todavia, ainda na nota, o governo avisa que não pagará as férias, o 13º dos aniversariantes de dezembro e nem as diferenças de 13º, procedentes do reajuste, de quem fez aniversário entre janeiro e agosto. Nem tampouco anuncia nenhuma data possível para o pagamento desses direitos trabalhistas. A categoria considera um absurdo que o GDF não tenha feito ainda o pagamento do 13º, cuja data limite era 20 de dezembro, e das férias, e nem tenha previsão para quitá-los, embora tenha alterado unilateralmente o calendário escolar. A categoria estava contando com esses recursos.
O pagamento da rescisão contratual nesta quarta é uma vitória do movimento dos (as) professores (as) da rede pública de ensino do Distrito Federal, que está mobilizado desde as primeiras manifestações promovidas pelo Sinpro-DF no ano passado, bem como da instalação, no dia 9 de janeiro, do acampamento na Praça do Buriti, convocado pela Central Única dos Trabalhadores de Brasília (CUT-Brasília) e das outras ações unificadas de esclarecimento à população realizadas nesta semana em várias regiões administrativas.
A presença dos (as) professores (as) de regime de contrato temporário nas atividades tem sido fundamental para o fortalecimento do movimento e para conferir visibilidade aos problemas que os (as) cercam. O professor temporário Alessandro Rodrigues, que lecionava matemática do Centro Educacional 2, do Guará, é um dos docentes em regime de contrato temporário que estão no acampamento desde o dia 9 de janeiro.
Ele conta que a categoria está desamparada e que a situação dele e de outros colegas é muito conturbada. “Não é fácil estar com a família no fim do ano e não poder proporcionar a ela as festas de Natal e de Ano Novo adequadas e, agora, também as férias prejudicadas. Além de tudo isso, tem a situação do próximo contrato temporário. A gente fica naquela incerteza de quando será efetivado, se seremos chamados. Até agora só tivemos notícias ruins e não esperamos muita notícia positiva”, afirma.
Apesar do anúncio do pagamento do salário de dezembro dos (as) professores (as) efetivos (as) e das rescisões dos (as) docentes de contratos temporários, o acampamento na Praça do Buriti e as ações unificadas nas cidades-satélites estão mantidos em razão das pendências. Na sexta-feira (16/1)  a comissão de negociação do Sinpro, representantes da CUT-Brasília e de outros sindicatos ligados aos servidores públicos de outras categorias do GDF terão uma reunião com o governo. A nova rodada de negociação marcada para o dia 16, está prevista para ocorrer às 14h30, no Palácio do Buriti.
Confira aqui a nota do GDF.

Skip to content