Engajado no Janeiro Branco, Sinpro-DF reabre atendimento na Clínica do Trabalho

O Brasil inicia janeiro de 2021 com a disparada dos casos de Covid-19, que desde março de 2020 matou mais de 200 mil pessoas no país. Junto com a escalada da doença em proporções geométricas, o medo, a dor, a ansiedade de quem vive a constante angústia de perder pessoas queridas ou mesmo a própria vida, assim como aquelas que carregam o fardo do luto. E tudo isso sem um calendário consolidado da vacinação contra o novo coronavírus. Diante deste cenário caótico, a Secretaria para Assuntos de Saúde do Trabalhador do Sinpro-DF reabre neste mês de janeiro o atendimento na Clínica do Trabalho, lembrando da urgência do Janeiro Branco, campanha que chama atenção para a saúde mental.

Veja a dica da psicóloga Luciene Kozicz

 

Diante de um governo que aplica propostas e projetos perversos ao povo, o brasileiro assiste estático o mundo inteiro se vacinar contra o coronavírus e o Brasil ficar de fora. Antes do governo neoliberal de Jair Bolsonaro e Paulo Guedes, o País foi exemplo e liderança mundial em campanhas de vacinação.

Não bastasse a melancolização decorrente do fracasso generalizado da política econômica neoliberal, o brasileiro teve de lidar o tempo todo, nos últimos 11 meses, com a pressão psicológica decorrente da não gestão da pandemia por parte do governo Bolsonaro. Como agravante das dores emocionais, ainda teve de lidar com o desmonte das políticas públicas nacionais de saúde mental do Sistema Único de Saúde (SUS).

No início de dezembro de 2020, o presidente Jair Bolsonaro revogou mais de 100 portarias do Ministério da Saúde sobre saúde mental editadas entre 1991 e 2014. Na lista do desmonte, destacam-se ações fundamentais, como o programa anual de reestruturação da assistência psiquiátrica hospitalar no SUS, o Serviço Residencial Terapêutico, a Comissão de Acompanhamento do Programa De Volta para Casa, a Rede de Atenção Psicossocial para pessoas com sofrimento ou transtorno mental e necessidades decorrentes do uso de drogas, o Consultório na Rua e outros serviços.

Cuidado com a categoria
Atenta à situação dos professores(as) e orientadores(as) educacionais, que atuam sob pressão em teletrabalho, aulas remotas e vários tipos de ameaças profissionais advindas dos governos local e federal, a diretoria colegiada do Sinpro-DF abraça o Janeiro Branco para disponibilizá-la à categoria, com a oferta de atendimento psicológico individual para professores(as) e orientadores(as) educacionais em sofrimento emocional com foco no trabalho.

Também está aberto o agendamento para a palestra nas escolas, uma cartografia das formas de vida no trabalho docente. O tema proposto é: O cuidado de si: reflexões sobre as psicopatologias do trabalho. Interessados(as) podem se inscrever pelo email:faleconoscosaudetrabalhador@sinprodf.org.br ou pelo telefone: 3343-4211.

Skip to content