Em noite de muita representatividade, Sinpro lança coletivo LGBTQIA+

Na noite desta segunda-feira, 18, o Sinpro lançou seu coletivo LGBTQIA+, com a presença de educadores(as), estudantes, entidades nacionais comprometidas com o combate à LGBTfobia, além de lideranças e ativistas do Distrito Federal. Realizado na sede do Sinpro no SIG, o evento contou com a apresentação do artista Amaro.

A atividade reafirmou o compromisso histórico do Sinpro com os direitos humanos de forma geral, e, de forma específica, a luta pelo respeito aos professores(as) e orientadores(as) educacionais em toda a sua diversidade. “A LGBTfobia está em todos os espaços, inclusive no ambiente escolar, o que faz necessária uma atuação tanto para a defesa do direito à diversidade quanto para uma educação libertadora, que contribua para uma sociedade mais humana, que possa garantir direitos iguais, tratamento justo e respeitoso em um ambiente de trabalho inclusivo, sem constrangimentos ou violências”, aponta Ana Cristina Machado, diretora da Secretaria de Raça e Sexualidade do Sinpro.

Para a diretora do Sinpro Élbia Pires, é na família e na escola que as pessoas LGBTQIA+ sofrem as primeiras manifestações de preconceito. “A criação do coletivo é um esforço do Sinpro para contribuir para que as escolas não sejam excludentes e não sejam vistas como local de risco pelas pessoas LGBTQIA+”, afirma Élbia.

O coletivo é ligado à Secretaria de Raça e Sexualidade do sindicato, sendo uma ferramenta construída pela entidade para contribuir na luta por direitos, contra o preconceito e a exclusão. Para participar das reuniões e atividades promovidas pelo coletivo, acompanhe o site e as redes sociais do Sinpro.