Distrito Drag lança a 4ª edição do Calendrag inspirado em canções brasileiras

Por: Ruth Venceremos e Wesley Lima

A arte drag é umas das expressões que tem se consolidado no âmbito nacional como uma arte LGBTI+, transcendendo a própria comunidade e adentrando outros segmentos da sociedade. No Distrito Federal vemos, a cada dia, a cena cultural LGBTI se fortalecer com as diversas iniciativas a partir da arte transformista. Nesse sentido, o Distrito Drag lançará no dia 25 de novembro, às 20h, o Calendário Drag 2021, com o tema “música brasileira”. Em razão da pandemia, o lançamento será virtual, no canal do YouTube do Distrito.

Com três edições já lançadas do Calendário Drag, de 2018 a 2020, o Distrito Drag tem como objetivo refletir sobre temas contemporâneos da sociedade brasileira a partir do campo da arte, dando visibilidade às diversas identidades da arte transformista e se constituindo como uma peça fundamental para a construção de uma crítica à realidade brasileira.

Drag Kelly Queen do Brasil, ensaio inspirado na canção Para não dizer que não falei das flores. Foto: Sidon

 

O Calendrag é um trabalho que reúne artistas drags, profissionais da fotografia e instituições apoiadoras. É mais do que um ensaio fotográfico para ilustrar um calendário: trata-se de encontros de pessoas LGBTI+ e da construção de espaços de afeto, o que permite, em cada edição do Calendrag, encontrar um verdadeiro manifesto artístico e político.

Confira as edições anteriores aqui

 

Canções em imagens

Por ser uma das manifestações estéticas que mais traduz a nossa formação como povo brasileiro e suas múltiplas identidades culturais, a música brasileira foi o tema escolhido para esta quarta edição.

Para Raykka Rica, drag queen da diretoria do Distrito Drag, “o desafio foi encontrar uma temática diferente das edições anteriores e que conseguisse passar uma mensagem bacana, abrindo espaço para a imaginação por meio da música traduzida na imagem fotográfica”.

Além disso, o Distrito Drag afirma que esse tema apresenta com força uma das linguagens artísticas mais recorrente na arte transformista, onde as drags cantam e dublam as alegrias, as dores, os amores e sonhos da vida.

Para ilustrar o calendário foram selecionadas treze canções que vão de “Mulher do Fim do Mundo”, de Elza Soares, passando por “O Bêbado e a Equilibrista”, interpretado por Elis Regina, “América do Sul”, de Ney Matogrosso, “Rito de Passá”, de MC Thá, até “Divino Maravilhoso”, na voz de Gal Costa.

Confira aqui a playlist com todas as canções” aqui 

A capa foi inspirada na canção “Mulher do Fim do Mundo”, de Elza Soares, que trata das suas batalhas e superação, da sua teimosia em continuar transformando dor em alegria até a vida terminar: “me deixe cantar até o fim”, exige Elza na canção. E nada mais simbólico que ser protagonizada por Silvetty Montilla, drag queen, negra e um ícone da cena transformista brasileira, com 33 anos de carreira.

De acordo com André Gagliardo, diretor de arte da quarta edição, foi uma experiência enriquecedora para seu trabalho. “Os artistas de Brasília, incluindo as Drags, fotógrafos, figurinistas e maquiadores são realmente muito inspiradores”, e continua: “Foi lindo ver todos se esforçando para ter uma bela imagem eternizada”, conclui.

Convidado para prefaciar o Calendrag 2021, o pesquisador e presidente do Instituto LGBT+, Felipe Areda destaca a relação do tema com a arte drag. Para ele o trabalho representa “um poderoso diálogo artístico, mediado também pela potente arte da fotografia. Cada uma destas páginas invoca o poder da ousadia da música brasileira para atravessar seus dias e meses com ritmos que nos ajudarão a convocar novos tempos”, afirma.

 

Solidariedade

A solidariedade é uma das principais marcas do Distrito Drag. Na quarta edição do Calendrag, não poderia ser diferente. Parte dos recursos arrecadados com a venda do Calendrag será destinado para apoiar o trabalho da Associação Nacional de Travestis e Transexuais (Antra), que é uma rede nacional que articula em todo o Brasil 127 instituições que desenvolvem ações para promoção da cidadania da população Travestis e Transexual.

Para Bruna Benevides, Secretária de Articulação Política da Associação, “este apoio é fundamental para que a Antra siga realizando, construindo e divulgando amplamente suas diversas ações, publicações e pesquisas, que já são reconhecidas como fonte de dados para a construção de políticas públicas, mas também para garantir o acesso da populaçao em geral a esses materiais, no sentido de orientar e dar caminhos para seguirmos no enfrentamento eficaz da transfobia”.

 

Serviço
Lançamento Calendário Drag 2021
Data: 25/11
Horário: 20h00
Onde: https://www.youtube.com/distritodrag Venda presencial do calendrag: a ser informado
Venda online: https://www.expressaopopular.com.br/loja/

Skip to content