Uma data de mobilização contra a reforma da Previdência

A diretoria colegiada do Sinpro-DF, por intermédio da Secretaria para Assuntos dos Aposentados,  parabeniza a todos(as) os(as) professores(as) e orientadores(as) educacionais pela passagem do Dia do Aposentado, comemorado em 24 de janeiro.
As lideranças sindicais do sindicato lembram que, no Distrito Federal, essa data representa mais um dia de reflexão e luta contra os ataques do governo neoliberal que se encontra, hoje, no Palácio do Buriti, que não tem pagado o direito adquirido à pecúnia da licença-prêmio aos(às) aposentados(as) do magistério público de 2016, 2017 e de agora, início de 2018.
E afirmam que as lutas rememoradas para o Dia do Aposentado também envolvem servidores(as) da ativa, uma vez que os ataques aos direitos sociais e trabalhistas têm sido desferidos não só pelo governo local, mas, principalmente, pelo ilegítimo governo federal, com todas as reformas e, agora, em fevereiro de 2018, com a reforma da Previdência.
A reforma da Previdência é um projeto de mercantilização do direito social à previdência pública e de privatização do direito à aposentadoria do funcionalismo público e dos trabalhadores da iniciativa privada que o governo ilegítimo de Michel Temer pretende impor aos(às) futuros(as) aposentados(as) do país.
“Por isso precisamos estar atentos, dispostos  e mobilizados para participar desta luta diária contra o fim dos direitos conquistados pela classe trabalhadora, como o direito à previdência social como um direito social”, afirma Rosilene Corrêa, diretora do Sinpro-DF e da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE).
A CNTE sempre se pautou pela defesa intransigente da memória daqueles que nos precederam nas inúmeras lutas vitoriosas que os/as educadores/as brasileiros/as obtiveram ao longo da história, e que continuam lutando pelos direitos já alcançados e por outros que virão através da união da categoria e da classe trabalhadora em geral.

Skip to content