"Depende do Orçamento", diz Eliana Pedrosa sobre melhorar remuneração do magistério

No segundo e último dia da sabatina promovida pelo portal Metrópoles – juntamente com a CUT Brasília, o Sinpro e sindicatos parceiros – com os candidatos ao governo do Distrito Federal, os trabalhos desta terça-feira (21/8) foram abertos com a ex-deputada distrital Eliana Pedrosa (PROS). O vice na chapa é o também ex-deputado Alírio Neto (PTB).
Eliane Pedrosa foi deputada distrital por três mandatos consecutivos, entre 2002 e 2014. De 2006 a 2009, foi secretária de Desenvolvimento Social do governo de José Roberto Arruda (PR). Em 2014, chegou a anunciar candidatura ao governo, mas disputou vaga na Câmara dos Deputados e ficou como suplente.
Confira as principais respostas da candidata a questionamentos sobre diversos assuntos:
Terceirizados
De acordo com o presidente interino da CUT Brasília, Rodrigo Rodrigues, os trabalhadores terceirizados do GDF vivem uma realidade absurda, com constantes atrasos no pagamento dos salários; com demissões em massa; enfim, “são os mais massacrados”. Diante desse quadro, qual seria a proposta?
Para a candidata, os trabalhadores terceirizados têm a pior remuração e é preciso rever isso. “O GDF tem que ter compromisso dentro da responsabilidade fiscal. Caso eleita, só contrataremos aqueles que tivermos condição de pagamento, justamente para que não ocorram casos como os que vemos hoje”, disse.
Reajustes dos servidores
A candidata já assumiu o compromisso de fazer a paridade entre os vencimentos dos policiais civis do DF com os dos policiais federais. Ela também quer dar um reforço nos vencimentos dos Bombeiros Militares e do pessoal da Polícia Militar. “Também faremos o equacionamento da PM e do Corpo de Bombeiros e nivelar, pelo líquido, com a Civil”, prometeu.
Sobre o pagamento da terceira parcela do reajuste devido aos demais servidores do GDF, Eliana Pedrosa disse que pretende pagar, “pois está na lei”. “A terceira parcela do reajuste, assim como a reformulação de planos de carreira, será possível a partir da arrecadação que temos hoje, com o aumento  a eficiência arrecadatória e com economia em determinadas áreas; como a integração de órgãos que fazem a mesma coisa, por exemplo.
Com esta combinação, pretendo destinar 1/3 para pagamento de reajustes, 1/3 para redução de impostos (IPTU, por exemplo), e 1/3 para incrementar  novos projetos para o DF”, explicou.
Licença-Prêmio e pagamento de pecúnias
Indagada pela coordenadora de Finanças do Sinpro, Rosilene Correa, a candidata disse que não pretende encaminhar nada no sentido de acabar com o benefício da licença-prêmio, pois se diz contra a retirada de direitos.
Sobre as pecúnias, Eliana Pedrosa destacou que, caso eleita, pretende fazer uma programação de pagamento. “Quero formar uma comissão com os servidores e montar uma programação, dando preferência aos mais antigos. Essa programação será com o ‘livro aberto’, ou seja, dentro do orçamento possível. A quitação, entretanto, não será possível no primeiro ano de governo, mas faremos isso no menor tempo possível”, disse.
Meta 17 do Plano Distrital de Educação (PDE)
Em resposta ao coordenador de Imprensa do Sinpro, Cláudio Antunes, sobre a equiparação do vencimento básico do magistério, no mínimo, à média da remuneração das demais carreiras de servidores públicos do Distrito Federal, com nível de escolaridade equivalente, Eliana Pedrosa disse que a educação é um ponto central. “Todos os países que deram um salto de qualidade (inclusive econômica), o deram pela Educação. Porém, temos um orçamento para trabalhar e temos um limite de receitas; a questão da responsabilidade fiscal. Quero dar transparência ao orçamento e aos nossos gastos. Vamos melhorar a remuneração dos professores; torná-la mais digna”, finalizou.
Saúde
“Corte na saúde é inadmissível”, disse ao se referir ao Orçamento do GDF. “Temos que remanejar o orçamento para carrear verbas para a saúde, e não o contrário”. A candidata também informou que Saúde, Educação e Segurança são atividades de estado e devem ser exercidas por servidores concursados. “A terceirização poderia entrar em algumas atividades-meio, como limpeza e informática”.
BRB
Pretende mantê-lo como banco público, de fomento, “buscando eficiência e participação nas decisões juntos com os funcionários e outros segmentos da sociedade, reunidos em comissões”.
Na sabatina, a candidata falou em criação da Secretaria de Gestão Estratégica. “É fundamental para fazer acompanhamento de todas as ações do governo”, disse. Também pretende criar a Agência Brasília de Turismo. “Uma empresa de eventos para dar mais celeridade na captação para a cidade.” Ela afirmou não ter intenção de diminuir o número de pastas do GDF.
Ao final, a candidata procurou os diretores do Sinpro que estavam no local para conversar. Ela afirmou que, se eleita, “fará um governo focado na educação e que cumpriria as leis relacionadas com a educação, porque entende que isso é algo importante para a sociedade”.

Skip to content