Continua crescendo ocupação de escolas no DF e entorno

O número de ocupações em escolas, universidades e institutos em todo o país contra a PEC 55 (ex PEC 241 na Câmara) e contra o desmonte da educação continua crescendo. No distrito Federal e entorno, já são 15 escolas ocupadas, entre elas o CEM 304, em Samambaia Sul; o CED sede 01 (Centrão), em Planaltina; o Gisno, na Asa Norte; o CEM Setor Oeste, na 912 Sul; o CEM 111, no Recanto das Emas; os Institutos Federais de Brasília de Samambaia, Planaltina, Riacho Fundo, Estrutural, São Sebastião e os campi de Valparaíso e Águas Lindas, no entorno. O CEM Elefante Branco e CEM Taguatinga Norte também aderiram ao movimento Ocupa Escola, assim como os Institutos Federais de Formosa e Luziânia.
O último balanço divulgado pela União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes) aponta que ao todo já são 1.108 escolas, universidades e institutos ocupados em todo país.
A primeira escola no DF a ser ocupada foi o CEM 414 em Samambaia. Depois de duas semanas, foi desocupada, mas serviu de exemplo para as demais ocupações em Brasília.
Os estudantes são contrários a PEC 55 (ex-241) porque este projeto ameaça a educação e todos os programas sociais que beneficiam a grande maioria da população. A PEC do Desmonte ou PEC da Morte congela os investimentos em saúde e educação para os próximos 20 anos. O protesto também é contra MP 746 (reforma do ensino médio), PL da Mordaça e o PL 131, que retira recursos do pré-sal para a saúde e educação.
Os estudantes têm sofrido constantes repressões e intimidações. O Atual ministro da Educação, Mendonça Filho (DEM-PE), exigiu a desocupação das escolas até o dia 31 de outubro. Caso contrário, a realização do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) será suspensa.
Para a Ubes a ameaça é uma forma de inibir a liberdade de manifestação e impor na marra à comunidade escolar  e à sociedade medidas nocivas e retrógradas. Além disso, o Ministério da Educação (MEC) também enviou ofício aos dirigentes da Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica pedindo a identificação dos estudantes que ocupam os institutos. A Ubes repudia a ameaça do MEC de punir os estudantes e entidades que sejam identificados como responsáveis pelas ocupações.
Apesar das tentativas de repressão, as senadoras Fátima Bezerra (PT-RN), Gleisi Hoffmann (PT-PR), Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) e o senador Lindbergh Farias (PT-RJ) se reuniram nessa terça-feira (25) em defesa dos estudantes que participam das ocupações. Os parlamentares conversaram com a subprocuradora-geral da República,Deborah Duprat, responsável pela Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão.
Após o encontro, Deborah Duprat decidiu encaminhar pedido de informações ao Ministério da Educação (MEC) sobre ofício enviado na semana passada aos gestores de institutos federais, determinando que indiquem os nomes dos estudantes das escolas ocupadas. Ela quer que o ministro golpista Mendonça Filho esclareça o motivo para identificação dos estudantes.
Na segunda-feira (24), 18 senadores de diversos partidos protocolaram representação no Ministério Público do DF, solicitando anulação do ofício. Para os senadores, a medida do MEC visa a coibir o direito de livre manifestação dos estudantes.
No Paraná, a comunidade educacional denuncia o governo local de estimular pequenos grupos reacionários a enfrentar os estudantes, o que tem levado ao uso até de violência pelos que se opõem às ocupações.
Confira a lista das unidades ocupadas até esta quarta-feira, 26/10:
Escolas e institutos federais (IFs): 1022.
Universidades: 82.
Núcleos Regionais de Educação (NREs): 3.
Outros espaços: 1.
 
Abaixo, a lista de escolas ocupadas no Distrito Federal e Goiás:
DISTRITO FEDERAL
CEM 304 Samambaia
CEM Setor Oeste
CEM 111 Recanto das Emas
CEM Taguatinga Norte
CED Gisno
CED 01 de Planaltina
IFB Estrutural
IFB Planaltina
IFB Riacho Fundo
IFB Samambaia
IFB São Sebastião
 
GOIÁS (10)
IFG Formosa
IFG Luziânia
IFGO Águas Lindas
IFGO Campus Anápolis
IFGO Campus Goiânia Oeste
IFGO Ceres
IFGO Goiânia
IFGO Iporá
IFGO Urutuaí
IFGO Valparaíso

Skip to content