CEM 01 de Sobradinho promove o protagonismo dos estudantes através da arte

Passeando pelo pátio do Centro de Ensino Médio 01 de Sobradinho, pode-se ver alguns desenhos emoldurados na parede. Obras que poderiam ser de qualquer artista, com traços refinados e um capricho em cada detalhe. O nível já é profissional, mas são produtos das mãos de estudantes do ensino médio da escola. As redações também são expostas nas paredes. Todas são reproduções, porque as originais foram entregues ao Sinpro e concorrem no Concurso de Redação e Desenho do Sindicato.
Um dos idealizadores do projeto é do professor de Artes, Cleiton Torres.  Para ele, “foi excelente a possibilidade de os alunos do ensino médio participarem do concurso através do desenho, pois eles mandam bem em todas as linguagens artísticas, seja na pintura, seja no desenho, no teatro, na música, na dança”, aponta.
No mesmo dia, no pátio da escola, ocorreu uma batalha de MC’s. Os MCs eram os próprios alunos, que segundos antes foram informados de que deveriam fazer as rimas com as temáticas do Concurso de Redação e Desenho do Sinpro. Foi um sucesso.
O professor de inglês Calebe Peixoto dá mais detalhes. “Nós procuramos outras estéticas para a avaliação dos alunos, pois eles têm inteligências diferentes e percebi que alguns alunos tinham essa aptidão para o improviso, essa batalha de MC’s se assemelha muito ao repente nordestino que também trabalhamos aqui. A maior dificuldade que temos hoje em qualquer escola, seja pública ou particular é de engajar o jovem, fazer com que ele participe e quando nós conseguimos fazê-los abraçarem e participarem ativamente de uma atividade como esta, para nós é o ápice”, comemora.
Gabriel Soares, aluno do 2° ano, considerou a experiência positiva. “Para a gente, é uma oportunidade de expormos nossa arte, assim pude explorar um lado diferente de um desenho, saindo da minha área de conforto”, resume. Yasmin da Paixão, aluna do 1° ano, afirma que “vi essa oportunidade de escrever porque, além de escrever poesias, também gosto de debater assuntos que gosto do cotidiano, além de temas ligados ao feminismo e movimentos negros. Falar sobre os indígenas me fez sair da área de conforto e a me libertar, ao escrever sobre o que penso em relação a eles”, enfatiza.
Gabrielli Bastos, estudante do 2° ano, já possui um portfólio da sua arte. “O desenho me faz ter muita criatividade, para explorar o que tem na minha mente. Eu não sabia que eu desenhava tanto, pois eu não percebia essa aptidão. Comecei a desenhar, meu professor foi me orientando, meus amigos me ajudaram. Hoje eu já tenho outras obras dentro da minha pasta”, aponta.
O professor Cleiton sugere que o Concurso do Sinpro amplie a participação para outras expressões artísticas. “Deviam abrir também para outras linguagens, não apenas no desenho e redação, pois temos muitos talentos e muitas habilidades em outras possibilidades de linguagens artísticas”, ressalta.
O resultado do VIII Concurso de Redação e Desenho do Sinpro deverá ser divulgado até o fim deste mês.

Skip to content