CCBB promove evento para terceira idade

O Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) está com uma programação voltada para o público da melhor idade. Durante todas as terças-feiras de setembro e outubro, o CCBB promoverá o Tercidade. Trata-se de um projeto que propõe vivências de cidadania e cultura com foco para público acima dos 60 anos. A entrada é franca e para participar das oficinas basta se inscrever pelo e-mail oficinas.tercidade@gmail.com

De acordo com a organização do evento, o Tercidade nasceu a partir da necessidade de estimular atitudes altruístas para encarar o processo de envelhecimento. O objetivo é incentivar na geração de brasileiros acima dos 60 anos o conhecimento, o cuidado, a troca saberes e a convivência em coletivo. Um ambiente lúdico de encontros, no qual o cidadão nesta faixa etária torna-se protagonista de experiências diversas de lazer, conhecimento e bem-estar.

Durante o projeto, o público participará de palestras, shows, intervenções artísticas, happy hours, oficinas, terapias orientais e muito mais. Apesar do foco em pessoas acima dos 60 anos, a iniciativa oferece uma programação diversificada e acessível a todos interessados em eventos culturais. Além das atividades do Tercidade, o frequentador terá à disposição toda a programação do Centro Cultural Banco do Brasil, incluindo as atividades do cinema e as visitas mediadas às exposições.

A diretora da Secretaria de Assuntos dos Aposentados do Sindicato dos Professores no Distrito Federal (Sinpro-DF), Silvia Canabrava explica que a terceira idade é uma fase singular na vida de cada um e que, em muitos casos, pode haver o medo da velhice e da solidão, mas ela reitera que é preciso se adaptar as mudanças desta etapa da vida. “Há tempos que que envelhecer não é mais sinônimo de reclusão e dependência, pelo contrário, a cada ano vemos que mais pessoas acima dos 60 anos envelhecem com saúde, ativos e com total controle de suas capacidades físicas, mentais e emocionais. O Sinpro acredita que atividades como essa são fundamentais para promover a cidadania, compartilhar experiências e continuar vivendo com qualidade de vida. Por isso, é necessário sempre incentivar e  valorizar a socialização”, afirma.

Skip to content