Categoria participa de ato contra o feminicídio

Professores(as) e orientadores(as) educacionais fizeram um dia de luto em várias escolas públicas do Distrito Federal em protesto aos casos de feminicídio tanto na capital federal quanto no Brasil. O ato é uma resposta à morte da servidora da Secretaria de Educação Débora Tereza Correia, assassinada pelo companheiro na última segunda-feira (20).

Com a morte da professora Débora, o Distrito Federal registra 13 feminicídios de janeiro a maio de 2019. Para se ter uma ideia global, no Brasil esse número avança para cifras alarmantes. O Mapa da Violência de 2018 indica que a cada 2 horas uma mulher é vítima desse tipo de crime no país.

O Sinpro e a Educação continuarão trabalhando para que comportamentos violentos e de intolerância não façam mais parte da sociedade, e que episódios de feminicídio e exemplos de agressão à mulher sejam banidos.

O sindicato parabeniza todos(as) que participaram deste dia de manifestação e luto nas escolas.

Skip to content