Participe da nova etapa de campanha de vacinação: Quero voltar, vacina já!

O Sinpro-DF convoca a categoria para participar da nova etapa da campanha Sem vacina não dá pra voltar! A ideia é a de que todos(as) os(as) professores(as), orientadores(as) educacionais e estudantes tirem fotos com uma plaquinha na qual esteja escrito uma das seguintes frases: PARA VOLTAR, QUEREMOS VACINA!; PARA PODERMOS VOLTAR, VACINA JÁ! e QUEREMOS VACINA PARA VOLTAR! Para fortalecer a campanha você também pode mudar seu avatar no Facebook e compartilhar com seus colegas.

A diretoria colegiada do sindicato afirma que a volta às aulas presenciais na pandemia da Covid-19 é um atendado à vida. “Queremos voltar, mas, somente com toda a segurança oferecida pela vacinação de todos os trabalhadores em educação”, afirma. Contudo, entende que, para além da necessidade de a categoria estar no grupo das prioridades para tomar a vacina, avalia que o que realmente é necessário e que vai trazer tranquilidade é quando toda a população estiver vacinada. “Queremos um retorno presencial com segurança”, completa. Todos os dias há dados de escolas que iniciaram o ano com aulas presenciais ou híbridas, mas tiveram de fechar e retomar as aulas remotas por causa do índice de contaminação.

Nesta semana, por exemplo, várias escolas públicas e privadas do Estado de São Paulo fecharam retornaram ao trabalho remoto por causa da rapidez com que o novo coronavírus infestou professores(as), estudantes e técnicos-administrativos(as). Lá, várias escolas privadas, que iniciaram as aulas em 25/1, já tiveram de retornar a atividades remotas. No dia 3/2, ao menos três escolas privadas de Campinas retomaram as atividades remotas. A situação mais grave ocorreu no Colégio Jaime Kratz, que registrou 42 casos de contaminação, sendo 37 funcionários e cinco estudantes infectados e mais cinco apresentaram sintomas. Uma professora foi internada. Essa escola estava com aulas presenciais desde 25/1. Campinas é a terceira cidade do estado em mortes por Covid-19.

A experiência de abertura de aulas presencias tem sido uma catástrofe em todo o Brasil e no mundo. Há denúncias de omissão de dados, sobretudo por parte das escolas privadas. Em São Paulo, onde o governo João Dória (PSDB) decidiu retomar as aulas presenciais na rede pública de ensino a partir de janeiro/2021, justamente no início da segunda onda da pandemia, já contabilizou, até quarta-feira (8/2), 209 caos de Covid-19 entre professores e outros trabalhadores da educação estadual.

“O Governo do Distrito Federal (GDF) não deve colocar em risco de morte mais de meio milhão de pessoas. Não há como voltar sem vacina. Precisamos mostrar para o governador Ibaneis, do MDB, que estamos dispostos a voltar, mas com toda a segurança”, afirma a diretoria colegiada do Sinpro-DF.  Importante lembrar que, em quase todos os países em que as escolas abriram para aulas presenciais tiveram de fechar e retornar ao trabalho remoto.

“Venha conosco na defesa da vida! Faça sua placa com a frase da campanha, tire a foto com ela e poste mencionando o @sinprodf para que possa ser divulgado no Facebook e Instagram do sindicato”, convoca a diretoria.

 

Participe da nova campanha do Sinpro-DF sobre o retorno presencial com segurança.

 

Tire uma foto com um cartaz ou plaquinha de papel com as frases PARA VOLTAR, QUEREMOS VACINA!; PARA PODERMOS VOLTAR, VACINA JÁ! e QUEREMOS VACINA PARA VOLTAR!

 e poste nas redes sociais mencionando o @sinprodf.

 

Campanha pelo retorno presencial das aulas somente com vacina.

Clique aqui e baixe o avatar da campanha.

 

 

 
 

 

 
MATÉRIA EM LIBRAS

Skip to content