Por administrador em 31/out/2014

Unidades móveis para o combate à violência contra a mulher do campo



A ação faz parte da campanha “Violência contra mulher não dá frutos”

Moradoras de áreas rurais da Zona da Mata, do Agreste e do Sertão estão sendo visitadas pelas Unidades Móveis de Enfrentamento à Violência Contra a Mulher do Campo. Em cada localidade estão sendo realizadas rodas de diálogos sobre os direitos das mulheres e a Lei Maria da Penha. Ontem (30/10), por exemplo, há uma unidade na Mata Norte, município de Lagoa do Carro, comunidade de Ventenas; e uma na Mata Sul, em Água Preta, no assentamento Bom Jardim.

A ação faz parte da campanha “Violência contra mulher não dá frutos”, que é realizada numa parceria entre a Secretaria da Mulher de Pernambuco (SecMulher-PE) e a Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República (SPM-PR).

Ao término de cada Roda de Diálogo, as mulheres, que desejam, podem ser atendidas individualmente, por uma psicóloga e uma assistente social, dentro das unidades, que são devidamente equipadas para isso.

As comunidades contempladas pelas visitas das unidades móveis estão sendo indicadas pelos movimentos sociais do campo, que compõem a Comissão Permanente de Mulheres Rurais, da qual a Fetape tem assento.

A Fetape, por meio da Diretoria de Políticas para as Mulheres, tem mobilizado seu público, nas diversas cidades do estado, por achar fundamental esse envolvimento, já que esse serviço é uma conquista das mulheres trabalhadoras rurais, durante a Marcha das Margaridas. “Nós avaliamos que é necessário fortalecer as ações junto às mulheres, potencializando cada vez mais a luta pelo fim da violência doméstica no campo”, destaca a diretora da pasta, Maria Jenusi Marques.

A Campanha

Com o tema: “Violência contra a mulher não dá frutos”, a campanha visa sensibilizar e conscientizar a população rural, no sentido de criminalizar o machismo, divulgando os mecanismos garantidos na Lei Maria da Penha, para a punição dos agressores. Durante os diálogos, também está sendo divulgada a Rede Pernambucana de Atendimento à Mulher em Situação de Violência.

O público-alvo da campanha são mulheres residentes em comunidades rurais do estado. A meta é atender duas comunidades de cada um dos 181 municípios pernambucanos que possuem área rural.

A Secretaria da Mulher do Governo do Estado e o Governo Federal estão realizando essa ação em parceria com os governos dos municípios, por meio dos organismos municipais de políticas para as mulheres, e da Comissão Permanente de Mulheres Rurais (CPMR).

Fonte: CUT Nacional

Imprimir