Por André Barreto em 09/ago/2017

Terceirizados na educação paralisam atividades



Os trabalhadores terceirizados na educação pública do DF decidiram paralisar as atividades nesta quarta-feira (9). De acordo com o sindicato que representa a categoria, Sindiserviços-DF, há dois anos a rotina de atrasos se repete.

O patronal deveria ter pago os salários e benefícios dos terceirizados no quinto dia útil do mês, o que não ocorreu. Além disso, o vale alimentação desses trabalhadores está atrasado há dois meses.

Eles são ligados à empresa Juiz de Fora, contratada pela Secretaria de Estado da Educação do Distrito Federal (SEE/DF). Esses trabalhadores são responsáveis pela limpeza e conservação das escolas públicas de São Sebastião, Sobradinho, Paranoá, Planaltina, Gama, Santa Maria, Riacho Fundo I e II, Recanto das Emas, Cidade Estrutural, Guará e Plano Piloto.

Ainda de acordo com o Sindiserviços, os empregados da Servegel e Real JG também não receberam, porém, ainda não aderiram ao movimento grevista.

O sindicato ressalta que, mesmo após inúmeras denúncias, a demora nos pagamentos continua. “É um absurdo! Os trabalhadores estão vivendo como escravos, com longos atrasos salariais, passando por constrangimento, além das ameaças de corte de ponto. Continuaremos mobilizados para encontrar uma solução imediata para o problema”, explicou o diretor do Sindiserviços, Antônio de Pádua.

Fonte: CUT Brasília com informações Sindiserviços-DF

Imprimir