Por administrador em 25/nov/2011

Sinpro pede a condenação do assassino de estudante



Representantes do Sindicato dos Professores no Distrito Federal, da CUT, além da deputada distrital Rejane Pitanga e da deputada federal Érika Kokay se reuniram em frente ao Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJDF), durante a tarde desta sexta-feira (25), para pedir a condenação do ex-professor de direito Rendrik Vieira Rodrigues, autor confesso do assassinato da estudante Suênia Farias de Sousa, de 24 anos. Apesar dos protestos e pedidos de Justiça da família, a primeira audiência de instrução do caso foi adiada devido um pedido feito pelos advogados de defesa. Ainda não há data para a nova sessão, mas há possibilidade da audiência ocorrer ainda este ano.

Para a diretora Maria de Fátima (Fatinha), é preciso que o autor seja julgado e condenado pelo crime que cometeu. “Nós do Sinpro-DF somos solidários à dor da família. A Secretaria de Política para as Mulheres deste Sindicato luta justamente contra violências como esta e é por isto que buscamos o respeito à Lei Maria da Penha”, salientou. Já a diretora Neliane Cunha afirma que é inadmissível casos de violência contra a mulher. “Nós estamos aqui mostrando para a sociedade que violência contra a mulher não pode ser banal. É preciso condenar quem mata”, afirma Neliane.

Entenda o caso – No dia 30 de setembro o ex-professor Rendrik esperou Suênia no estacionamento da universidade (707/907 Norte) onde ela estudava e quando a viu, pediu para conversarem. Após passar de carro por vários pontos da cidade, Rendrik estacionou em frente ao Jóquei Clube e ordenou que a vítima ligasse para o companheiro, pedido negado pela vítima. Logo após o ex-professor assassinou a estudante com três tiros e em seguida dirigiu com o corpo dela no carro por mais de uma hora antes de se entregar. O Brasil é o 102º país do mundo em casos de violência.

Imprimir