Por administrador em 26/mar/2009

Seminário Educando para a liberdade



Apenas 18% dos presidiários brasileiros têm acesso a algum tipo de educação, segundo dados do Ministério da Justiça. Segundo relatório da ONU em elaboração, todas as unidades prisionais visitadas tinham listas de espera com presos interessados em entrar nos projetos educacionais. A demanda não é atendida por uma série de problemas, entre os quais a falta de formação continuada de agentes educadores.

Com esses dados em mente, o Sinpro apresenta o Seminário Educando para a Liberdade: Desafios e perspectivas para a educação de pessoa em situação de vulnerabilidade pessoal e social, medidas socioeducativas e restrição de liberdade. O objetivo é aprofundar o debate sobre o tema e buscar novas formas de promover a ressocialização desses educandos.

O relatório da ONU detectou que os professores são muitas vezes alvo de desconfiança por parte de agentes penitenciários e diretores. O Seminário será uma excelente oportunidade para um diálogo conjunto em busca de uma solução. Juntos, também será mais fácil cobrar do Estado que faça sua parte na resolução do problema, por exemplo, cuidando dos problemas de infra-estrutura como a falta de salas de aula e iluminação e ventilação adequadas.

Também falta um plano de educação coeso. Projetos isolados existem ao redor do Brasil, mas ainda não existe uma política de Estado voltada para a reintegração social do preso. A presença no seminário de representantes dos Ministérios da Educação e Justiça, bem como de diversos outros órgãos do governo, permitirá que estes relatem o que está sendo pensado e feito a respeito do assunto.

Serviço:
II Seminário Educando para a Liberdade
Desafios e perspectivas para a educação de pessoa em situação de vulnerabilidade pessoal e social, medidas socioeducativas e restrição de liberdade
26 a 28 de março de 2009
Sinpro DF
SIG Quadra 6 – lote 2260
Setor Gráfico – Brasília – DF
www.sinprodf.org.br

Imprimir