Por administrador em 27/mai/2010

SEDF abre novo concurso para 400 professores efetivos



Segundo a SEPLAG, o edital com as regras do concurso será publicado na sexta-feira, 4/6. O salário inicial para professores de 40 h do diurno é de R$ 3.720, 00. Para professores de 20 h diurno ou noturno, R$ 1.381, 00
A SEPLAG – Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão – informou hoje à Secretaria Estado de Educação que publicará no DODF – Diário Oficial, na sexta-feira da semana que vem, 4/6, edital abrindo novo concurso para 400 professores Classe “A” da Carreira Magistério Público do Distrito Federal.

O salário inicial para professores de 40 horas do diurno é de R$ 3.720, 00. Para professores de 20 horas diurno ou noturno é de R$ 1.381, 00. Só não serão abertas vagas para professores de Educação Física, História e Geografia. A maioria das 400 vagas está destinada a professores de Atividades – de 1ª a 4ª séries do Ensino Fundamental – e de Música.

“Atividades abrirá 123 vagas porque é a nossa maior demanda; e Música, 77 vagas, porque não fazemos concurso desde 2001”, esclarece a subsecretária de Gestão dos Profissionais da Educação, Jackeline Aguiar. Do total de 16.108 turmas da rede pública, 6.791 são de 1ª a 4ª séries e 267 do 1º segmento da EJA – Educação de Jovens e Adultos.

O concurso, cuja data será marcada pela SEPLAG, tem validade de dois anos renováveis por mais dois. Portanto, significa que a SEDF poderá chamar professores além desses 400, se for necessário, durante o período de validade do concurso.

Desde 2007 já foram convocados 3.550 novos professores para atuar em salas de aula.

Nossa rede em professores

No total, a SEDF conta com 24.210 em sala de aula e 1.280 em cargos de diretor e vice-diretor das escolas da rede pública.

Para suprir ausências em sala de aula, a Secretaria de Educação também mantém um banco com 9.000 professores substitutos, embora só possa chamar até 6.000 deles. Os professores substitutos podem desistir das convocações por até três vezes. Depois não são mais chamados.

“A SEDF deu esta alternativa aos substitutos porque compreende que é parte da natureza do trabalhador temporário buscar outras fontes de renda até que se coloque efetivamente no mercado de trabalho”, explica a subsecretária Jackeline Aguiar.

Imprimir