Por administrador em 27/mar/2009

Por uma Conferência de Comunicação Cidadã



O que temos a ver com isso? A presença de mulheres, negros, homoafetivos e portadores de necessidades especiais na mídia ainda é marcada por preconceito e por falta de espaço. Os trabalhadores dos movimentos sociais, populares e sindicais também
sofrem a mesma discriminação. Quando há reivindicações salariais e mobilizações por melhorias, os trabalhadores aparecem como baderneiros.
Servidores públicos, professores, médicos, psicólogos, bancários e tantos outros que atendem a população do nosso Brasil enfrentam uma mídia comprometida com interesses políticos e econômicos. Quando o cidadão não aceita o conteúdo da televisão, não tem alternativa senão desligar e ficar desinformado. Trabalhadores de rádios e TVs
comunitárias, em luta por programas educativos que reflitam a realidade brasileira, são perseguidos, presos e têm seu equipamento confiscado.
A democratização da comunicação no Brasil sempre foi vista como uma utopia. Agora, porém, começa a surgir uma expectativa de mudança. Em dezembro deste ano será realizada a 1ª Conferência Nacional de Comunicação, em Brasília, por força da mobilização de várias entidades junto ao governo. As etapas municipais e estaduais começam a ser organizadas.
Neste momento histórico, convidamos todas as organizações da sociedade civil a colaborar na discussão sobre a mídia. Precisamos nos mobilizar para a Conferência Distrital de Comunicação. Temos que dar voz aos cidadãos, movimentos sociais, entidades e sindicatos. Vamos lutar para mudar nossa realidade e levar nossas propostas à Conferência Nacional de Comunicação. A comissão distrital pró-conferência nacional de comunicação e a CUT-DF realizarão um encontro de discussão sobre a Conferência Nacional de Comunicação, no dia 30 de março de 2009, próxima segunda-feira, às 19h, no auditório da CUT-DF.

Imprimir