Por administrador em 09/mar/2009

Mulheres pelo direito à creche pública



“Já me fizeram ir e voltar várias vezes com a promessa de uma vaga na creche para meu filho. Mas, no final das contas, eu nunca consigo”. Essa foi a frase unânime das mães reunidas na última quinta-feira (5) no debate “Creches: garantia de direitos e papel das políticas públicas para a construção da autonomia das mulheres”, organizado pela CUT/DF e secretaria de Mulheres do Sinpro/DF, na semana da Mulher. Para mudar este cenário, as participantes aprovaram a realização de uma manifestação no dia 26 de março, véspera do aniversário de Ceilândia, em frente ao Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) da cidade.

“O que Ceilândia quer de presente?”, perguntou a secretária para Assuntos e Políticas para Mulheres Educadoras, do Sinpro-DF, Eliceuda Silva França. “Creche”, respondeu em coro o grupo de mães presente na atividade. Na cidade, mais de oito mil crianças de zero a seis anos não conseguiram vaga em creches ou escolas para este ano. Mesmo com este número, prédios construídos para serem creche continuam desativados. Como é o caso do Centro de Integração de Desenvolvimento Infantil (CIDI), localizado na QNN 14 de Ceilândia. O prédio, lançado em março do ano passado, tem capacidade para acolher 600 crianças, mas continua de portas fechadas.

No final da atividade dessa quinta-feira, as mães se reuniram e seguiram para o CIDI que está fechado. Com faixas, gritos e muita vontade de garantir uma vaga para seus filhos, elas protestaram pela abertura do prédio e de outros locais que possam funcionar como creche pública. “Essa é só uma prévia do que estamos preparando para o dia 26. Enquanto lutarmos sozinhas, vai ser difícil conseguirmos alguma coisa. Mas agora, juntas, a realidade será outra”, afirmou a secretária estadual sobre a Mulher Trabalhadora, da CUT/DF, Graça Sousa.

CUT-DF prepara ato político
A Central ainda realizará no dia 7 de março um ato político, no Parque da Cidade de Brasília, a partir das 9 horas. A atividade se apoiará basicamente em panfletagens e ações de cidadania, como orientações sobre a prevenção ao câncer de mama, colo do útero e doenças laborais, orientações sobre combate à violência contra a mulher, documentação civil, etc. O ato ainda reserva espaço para show musical com Isaberg. A cantora brasiliense promete animar o público interpretando canções de Chico Buarque, Marisa Monte, Gilberto Gil, Caetano Veloso e outras pérolas da MPB.

Por: Vanessa Galassi, da CUT-DF

Imprimir