Por administrador em 09/ago/2013

Livro baseado em crianças da 306 Norte passeia por história de Brasília



Professor lança coletânea de 42 contos, em que a inspiração foi a garotada que morava na 306 Norte e ali fazia estripulias. A obra passeia pela capital e acompanha a formação de Brasília nas décadas de 1970, 1980 e 1990

 

Um personagem fictício tirado de um romance de contos passeia pela 306 Norte. Entre blocos, quadras de esporte e parquinhos, reconhece o endereço em que cresceu. Como alguém de várias faces, ele é feito de muitas pessoas que passaram por lá. Especificamente, de um grupo de amigos que viveu na quadra de 1970 a 1990 e cresceu brincando de bete e bola de gude, correndo nos pilotis.

 

A turma atravessou a ditadura militar ouvindo rock inglês, aplaudindo a revolução da banda Legião Urbana e desafiando pais e vizinhos. Ontem, os antigos moradores caminharam entre os prédios, repararam a existência de uma rampa onde antes havia uma escada, viram um piso diferente e ainda notaram as velhas árvores e novos rostos em um lugar que, por mais remoto que esteja no passado, nunca deixou de ser um lar.

 

A volta ao passado saiu das lembranças do ex-morador Wagner Lemos, de 42 anos. O personagem criado por ele costura com onipresença os 42 contos do livro Superquadra 306 Norte coletânea de contos mínimos, narrando, com textos de duas ou três páginas, as desventuras dos então jovens habitantes.

 

Comparando figuras do passado com ídolos da cultura pop, Wagner tentou registrar os fatos e as emoções de crescer em uma Brasília em formação e formar-se com a cidade, que, segundo a própria obra, “brotava do cerrado”. O tempo passou, mas não afrouxou os laços de amizade. O próprio autor casou-se com Gisele Cristina Havrechak, de 39, integrante da molecada. Pelo menos 15 deles ainda se encontram uma vez por ano e, até 13 de julho, quando a obra foi lançada em uma livraria em um shopping no Lago Norte, comentavam que as rapsódias “dariam um livro”.

 

Fonte: Correio Braziliense

Imprimir