Por administrador em 18/mar/2014

GDF trata como sabotagem uniforme escolar que traz ensino com ‘C’



A Secretaria de Educação do Distrito Federal informou nesta segunda-feira (17) considerar um ato de sabotagem a confecção de um uniforme escolar com a palavra “encino”. Um estudante do Centro de Ensino Médio 01 de Brazlândia adquriu uma camiseta com o erro de grafia.

De acordo com a pasta, foram confeccionadas ao todo 2.800 camisetas, das quais 27 com o erro de grafia.

Por meio de nota, a Secretaria de Educação informou que considera “impossível” a reprodução das 27 camisas erradas no universo de 2.800 corretas. Essa certeza, diz a secretaria, se deve à técnica de produção das camisas adotada pela Fábrica Social, entidade responsável pela confecção das peças.

O GDF divulgou uma foto do molde que teria sido utilizado na confecção dos uniformes, produzidos pela Fábrica Social.

O problema foi notado pela irmã de Maykon dos Santos na sexta-feira (14). Como o uniforme era grande para ele, o garoto de 18 anos nunca o havia usado. O estudante cursa a aceleração e faz o 1º e o 2º anos do ensino médio ao mesmo tempo.

“Eu achei estranho quando ela falou”, disse o rapaz. “A gente recebeu as camisetas de graça na escola, mas, como ficaram grandes, paguei R$ 15 em outra e nem reparei nessa.”

Uma foto da camiseta foi postada em uma rede social. Em 14 horas, a imagem recebeu mais de 7,4 mil compartilhamentos.

As camisetas, com gola vermelha e o símbolo do Estádio Nacional, foram distribuídas há duas semanas na instituição. O colégio atende mais de 1,3 mil alunos entre 14 e 18 anos. Por telefone, o diretor Helton Lima informou que outras camisetas também apresentaram erro na escrita e que vai substituí-las a partir desta segunda.

A Fábrica Social confeccionou as camisetas e doou cerca de duas unidades para cada estudante da rede pública. A escolha do modelo é uma homenagem à Copa do Mundo.

(Do G1)

Imprimir