Por administrador em 30/mar/2009

Fórum permanente para combater homofobia



A criação de um Fórum Permanente de Discussão, Formação e Combate à Discriminação por Orientação Sexual foi a principal deliberação do Encontro Educação e Homofobia, realizado pelo Sinpro no último dia 21 de março. Os professores interessados em participar desse espaço de debate podem comparecer a sua primeira reunião, marcada para o dia 16 de maio, sábado, às 9h, na sede do Sindicato.
A partir de agora o telefone 0800 606 0505, implantado pelo Sinpro para denúncias a respeito de violência nas escolas, poderá ser usado também para denunciar toda forma de preconceito ou homofobia no interior dos estabelecimentos de ensino. Se você for vítima de preconceito ou presenciar qualquer ato que possa ser classificado como preconceito sexual, denuncie!
Cerca de 130 pessoas participaram durante todo o dia das discussões sobre as diretrizes pedagógicas do MEC no combate à homofobia, sobre a tipificação do que seja discriminação sexual, entre outros temas. Na abertura a diretora do Sinpro Iracema Bandeira fez uma espécie de desafio: pediu que todos fechassem os olhos e depois abrissem e observassem se havia alguma pessoa igual entre os presentes. “Podemos perceber que somos todos diferentes, não existe nenhuma pessoa igual a outra. Nós somos diferentes, mas não podemos ser indiferentes”, afirmou ela.
Para o diretor Misael Barreto, o interesse demonstrado pelos professores mostra que há uma preocupação com a busca de solução para a crescente intolerância que tem havido dentro das escolas com professores, funcionários e alunos que expressam sua orientação sexual. “Ninguém mais indicado para reverter essa realidade que o educador, que tem o dever de defender a diversidade e combater o preconceito e a discriminação”, afirmou ele.

Imprimir