Por administrador em 30/mar/2012

Força do movimento reabre negociações



Nas assembleias regionais realizadas na manhã desta sexta-feira, 30,  os professores puderam avaliar o momento de nossa luta e sugerir ao Comando Geral de Greve estratégias de atuação para os próximos dias, além de se informarem sobre a reunião com o secretário de Educação, Denilson Costa. Em todas as regionais, como em Santa Maria (foto) professoras (es) debateram pontos importantes da reestruturação do Plano de Carreira.

Esses pontos foram objeto de reunião com o secretário de Educação, realizada na tarde da última quinta-feira, dia 29. O secretário afirmou que tem se reunido com outras pastas para subsidiá-las de informações sobre a estrutura da nossa carreira. Ele afirmou que defende também a tese da carreira única, com a incorporação de gratificações e a ampliação do conceito do que sejam funções de magistério.

Afirmou que pretende propor no Plano de Carreira um limitador para liberação de professores para outros órgãos e critérios mais objetivos para afastamentos. Ressaltou ainda que pretende apresentar e discutir o Plano de Carreira de maneira completa, com estrutura e tabelas.

Sobre o artigo 15 do nosso Plano de Carreira, afirmou que o governo já tem um texto pronto para substituir o referido artigo no plano atual. Esse texto substitutivo está passando por uma análise jurídica do GDF e que assim que tiver sido liberado encaminhará ao Sinpro, para que a entidade faça sua própria análise.

Ao salientar que assume o compromisso político de prorrogar o concurso de 2010, adiantou que a partir de agora para cada aposentadoria haverá a convocação de um concursado. Declarou ainda que hoje existem 3.100 professores em contrato temporário e se comprometeu a elaborar um documento explicativo com a fórmula de cálculo do pagamento destes professores, tendo como referência o vencimento inicial e a Tidem..

O secretário  afirmou ainda que o primeiro processo eleitoral da Gestão Democrática ocorrerá na 1ª quinzena de junho.

Por fim, ele disse não tinha, no momento, autonomia para  falar de auxilio alimentação, plano de saúde ou sobre outros pontos financeiros da nossa pauta, mas apontou para uma possível reunião, antes da próxima assembleia, com outros setores do governo.

A comissão de negociação avaliou que esses avanços na discussão e a possibilidade de conversa antes da assembleia são resultados diretos  da nossa mobilização. O ato realizado na sede da Secretaria na 607 Norte foi um sucesso e é fundamental que estejamos presentes nas atividades da greve. No domingo, 1º de abril, todos e todas ao ato público, com concentração a partir das 10h, no estacionamento do ginásio de esportes do Taguaparque.

 

 

Imprimir