Por administrador em 25/maio/2009

CUT elege direção no DF



A partir desta segunda-feira (25) CUT-DF está sob coordenação de uma nova diretoria. Depois de três dias de Congresso, os 354 delegados aprovaram com apenas uma abstenção a eleição da única chapa inscrita. A presidência continuará sob responsabilidade de Rejane Pitanga que, pela segunda vez consecutiva assume a função. De acordo com a presidente, a CUT viveu, nos últimos três anos, momentos muito difíceis diante de um governo de direita e ainda terá muito trabalho a fazer.
Rejane ainda explicou que, durante este triênio, a “consolidação da CUT, o fortalecimento da Central e a defesa dos direitos dos trabalhadores” são os principais pontos a serem cumpridos. Para ampliar a luta, foram criadas quatro novas diretorias que atuarão na CUT-DF: juventude, racial, meio ambiente e saúde do trabalhador. A inovação da continuidade à política aplicada na direção anterior que visa uma “Central de inclusão para todos os trabalhadores”. Rejane Pitanga ainda avaliou como positiva a realização do Congresso.
“Este Congresso foi extremamente forte, com participação expressiva dos trabalhadores e que culminou com uma chapa unitária, que é resultado dos trabalhos feitos durante esses três anos”, disse.
Plano de lutas
Ainda no último dia do 11º CECUT-DF, foi aprovada a pauta do Plano de Lutas que será encaminhada durante os próximos três anos. Primeiro foi aprovada a pauta específica da luta das mulheres, que aponta, entre outras coisas, a implantação de creches e berçários nos locais de trabalho, a realização de uma campanha contra assédio moral e sexual, a garantia da participação das mulheres nas deliberações sindicais, o incentivo de debates de gênero e sexualidade, a luta pelo aumento da licença maternidade para homem e para a mulher e a criação de mecanismos de inclusão e proteção de travestis e transexuais nos locais de trabalho. Logo depois, os delegados presentes aprovaram por unanimidade os Planos de Ação nacional e local. Entre os pontos está a participação na Comissão pró-Conferência de Comunicação do DF; avançar na reforma agrária com a participação ativa da CUT-DF nos sindicatos rurais; lutar pela retirada das tropas brasileiras do Haiti; reestatizar empresas como a Vale e a Embraer, com a readmissão dos funcionários demitidos.
Também foram incluídos no Plano a organização de um ato em defesa da Petrobras e a questão dos palestinos refugiados no Brasil. O Congresso aprovou a intervenção nos órgãos de governo responsáveis pelos refugiados e a atuação da CUT junto aos sindicatos para promover ações de ajuda ao grupo.
Comunicação: estratégia sindical
A disputa pela hegemonia da comunicação é uma luta antiga das entidades sindicais e da CUT. Entretanto, para dar um passo a frente nesta luta, a CUT, os sindicatos filiados e os movimentos sociais fazem um grande esforço para mobilizar toda a sociedade a participar da Conferência Nacional de Comunicação, agendada para acontecer de 1 a 3 de dezembro.Sobre este tema, a secretária nacional de comunicação da CUT, Rosane Bertotti, palestrou neste sábado (23) pela manhã.
“O sistema de comunicação do Brasil tem lado e este lado não é o dos trabalhadores”, disse Rosane. Para ela, é importante mobilizar as pessoas e realizar um debate nas três esferas sobre a comunicação atual e garantir também que sejam realizadas as Conferências de Comunicação estaduais. Quem vai garantir que o Arruda, por exemplo, vai trazer este debate aqui para o DF?”, questionou.
Para a secretária, além de fortalecer os veículos de comunicação sindical, inclusive adaptando-o às novas tecnologias, é necessário reformular o sistema vigente, forçando os veículos da grande imprensa a cumprirem o que está garantido em lei, como o espaço de 25% para comerciais, a preservação e divulgação da cultura regional e a regulamentação dos artigos 220 e 223 da Constituição Federal. “A gente reconhece vários avanços no governo Lula, mas também reconhecemos que na comunicação não avançamos em quase nada”, afirmou.

Diretoria Executiva da CUT-DF

A nova direção da CUT-DF coordenará a Central até maio de 2012. A novidade é que, neste triênio, a CUT-DF conta com cinco novas secretarias: a de Raça, a de Juventude, a de Meio Ambiente, a de Saúde do Trabalhador e a de Relação do Trabalho. Veja lista completa das secretarias e de seus secretários.

Presidência
Rejane Pitanga
Sinpro-DF – Sindicato dos Professores do DF

Vice-presidência
Cleusa Maria Cassiano
Sindsep – Sindicato dos Servidores Público Federais no DF

Secretaria geral
Cícero Rola
Sindser – Sindicato dos Servidores e Empregados na Administração Direta, Autarquias, Empresas Públicas e Sociedades de Economia Mista do DF

Tesouraria
Nasson Antônio de Oliveira
Sindclubes – Sindicato dos Trabalho Entidades Recreativas, Assistenciais, de Lazer e Desportos de Brasília

Secretaria de Organização e Políticas Sindicais
Roberto Miguel de Oliveira
Vigilantes – Sindicato Empregados nas Empresas de Segurança e Vigilância DF

Secretaria de Formação
José Eudes Oliveira Costa
SAE – Sindicato dos Auxiliares em Administração Escolar do DF

Secretaria de Saúde
Conceição de Maria Costa
Sindicato dos Bancários de Brasília

Secretaria de Imprensa
Cosmo José Balbino
Sintfub – Sindicato Serv. Técnicos Administrativos da Fundação Universidade de Brasília

Secretaria de Relação do Trabalho
Sheila Tinoco
Sindjus – Sindicato dos Trabalhadores do Poder Judiciário e do Ministério Público da União

Secretaria de Mulheres
Maria da Graça de Sousa
Sindjus – Sindicato dos Trabalhadores do Poder Judiciário e do Ministério Público da União

Secretaria do Meio Ambiente
João Luiz Batista
Sindsep – Sindicato dos Servidores Público Federais no DF

Secretaria de Raça
Jorge Luiz Prates
Sindiserviços – Sindicato Empregados em Empresas de Asseio e conservação, Trabalho Temporário, Prestação de Serviços e Serviços Tercerizáveis e Cabineiros

Secretaria de Políticas Sociais
Ismael José César
Sindsep – Sindicato dos Servidores Público Federais no DF

Secretaria de Juventude
André Luiz da Conceição
Sindser – Sindicato dos Servidores e Empregados na Administração Direta, Autarquias, Empresas Públicas e Sociedades de Economia Mista do DF

Imprimir