Por administrador em 05/jun/2014

Cultura brasiliense conquista vitória com tombamento do CEMEIT



eit 756x400

O Sinpro foi homenageado durante o III Seminário Taguatinga: Memória e Identidade, realizado nesta quarta-feira (04), no Teatro da Praça. A homenagem é decorrente ao tombamento do Centro de Ensino Médio Escola Industrial de Taguatinga (CEMEIT) e de Criação do Complexo Cultural EIT. O tombamento sempre foi uma bandeira levantada pelo Sindicato e durante muitos anos o Sinpro, a comunidade escolar e movimentos culturais de Taguatinga realizaram várias manifestações com este objetivo.

“O Sinpro desempenhou um papel fundamental neste processo. Este é um momento histórico que deve ser comemorado não só pela população Taguatinguense, mas também pela população do Distrito Federal, porque é o reconhecimento da importância do Centro para a cultura brasiliense. Foi a força popular que venceu o mercado imobiliário”, disse a diretora Rosilene Corrêa, complementando que o CEMEIT é um complexo que promove ações positivas. “Além de um ambiente escolar, é um ambiente que incentiva e promove a cultura”.


Campanha pelo tombamento da EIT

No dia 6 de dezembro de 2006, diretores do Sinpro, professores(as), ativistas culturais, estudantes e toda comunidade escolar participaram de um ato pelo tombamento da EIT, uma luta desenvolvida pela Campanha Viva EIT. A Escola Técnica e Industrial de Taguatinga é a escola mais antiga da cidade e ocupa um espaço privilegiado no centro de Taguatinga, e forma com a Biblioteca Machado de Assis e o Teatro da Praça um espaço educativo-cultural do qual a comunidade não abre mão.

Durante o ato mais de 1.300 mil assinaturas foram recolhidas e entregues à Secretaria de Cultura do DF.


História da EIT

A história da EIT se confunde com a da própria cidade. Construída em 1961, no centro da cidade, a escola transmite mais do que conteúdos de livros didáticos. A Escola Industrial de Taguatinga (EIT) foi idealizada pelo poeta e funcionário do Ministério da Educação (MEC), Caldêncio Mewton de Carvalho Souza, em 1959. Foi lá que muitos filhos dos pioneiros de Brasília concluíram cursos profissionalizantes. Filhos de peões de obras, pedreiros, carpinteiros, cozinheiras e motoristas cresceram na EIT aprendendo a usar o torno elétrico e a prensa tipográfica, bem como a desempenhar outras tarefas operárias. A EIT, posteriormente, tornou-se a primeira escola de ensino médio da cidade, passando a receber também os filhos da intelectualidade da região. Nesta época, tanto a Biblioteca Pública Machado de Assis quanto o Teatro da Praça pertenciam à área da escola, e o espaço era utilizado para oferecer oficinas.

Imprimir