Por administrador em 27/mar/2014

Ato por uma Educação de qualidade, nesta quinta-feira (27)



Nesta quinta-feira (27), um dos principais temas da classe trabalhadora será debatido com a sociedade brasiliense. Um grande ato em defesa de uma Educação pública de qualidade será realizado pelo Sindicato dos Professores do Distrito Federal – Sinpro DF, com apoio da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação – CNTE, da Central Única dos Trabalhadores de Brasília – CUT Brasília e suas entidades filiadas. A atividade será às 9h, em frente ao Palácio do Buriti.

“A valorização do profissional da educação e a melhoria do ensino de nossas crianças tem que ser um dos itens prioritários a serem trabalhados pelo Governo do Distrito Federal”, afirma o presidente da CUT, Rodrigo Britto, e justifica o local da atividade.

Para o presidente da CUT Brasília, “com uma educação pública de qualidade iremos garantir um futuro melhor para nossas crianças, uma justa valorização dos trabalhadores e, consequentemente, uma melhor qualidade de vida para todos e todas. Por isto, a Central Única dos Trabalhadores convoca todas as suas entidades filiadas para participarem desta luta em defesa deste tema tão relevante para a classe trabalhadora”.

Respeitem nossas crianças
Após o ato em frente ao Palácio do Buriti, a CUT e suas entidades filiadas irão para o município goiano do Novo Gama potencializar a luta dos professores pela garantia de direitos e pela manutenção de uma educação digna para as crianças e adolescente da cidade.

A prefeitura do Novo Gama reduziu a carga horária dos alunos de 5 para 4 horas por dia. Com isso, as crianças terão até 298 horas a menos de aula. Com esta medida, além de colocar em risco o futuro dos jovens e adolescentes, a prefeitura esta reduzindo a remuneração dos educadores. Por isso, os professores e professoras do município estão de greve desde o último dia 11 de março.

Uma proposta com o objetivo de retomar o diálogo e resolver o impasse foi oficializada no gabinete do Prefeito, na última segunda-feira (24), mas até o presente momente não há resposta. Devido ao silêncio do Executivo local, resta aos trabalhadores e a sociedade de Novo Gama ir às ruas cobrar seu direito constitucional de ter uma Educação pública de qualidade e o investimento correto dos recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).

Imprimir