Por administrador em 24/jan/2014

Artigo – 2014: PNE; Copa do Mundo; eleições e manifestações



“O PNE pode servir como guia para mudarmos como a Educação vem sendo tratada”, afirma Gesley Fernandes*

O ano começa e 2014 se apresenta como um tempo que pode ficar marcado na história recente do país. Junto com a realização da Copa do Mundo teremos também as eleições. Diante do cenário das eleições temos que a tendência é que o cenário de disputa eleitoral faça com que as ações governamentais, no setor educacional, não sejam nada muito diferentes do que temos visto. A previsão é que se mude o ministro da Educação, mas que as políticas adotadas no MEC se mantenham.

A grande novidade pode ser os debates acerca do PNE (Plano Nacional de Educação). Em debate há três anos, com a aprovação no Senado podemos imaginar que se acirrarão os discursos sobre ele. E aqui junto ao clima de eleições e insatisfação com o modo como a Copa tem sido tratada, pode gerar um componente de debate interessante para o PNE. Esse é um documento que tem vigência de 10 anos. O último PNE “venceu” em 2010 e desde 2011 o Congresso Nacional debate o novo PNE, que teria a vigência de 2011 a 2020.

O setor da educação é fonte de interesses diversos e difusos e esse documento tenta dar uma direção para onde caminhar nesse setor. Pode servir como guia para mudarmos como a educação vem sendo tratada. É certo que muitos avanços houveram na educação brasileira nesses últimos anos, mas ter um documento oficial que de uma direção para que esses avanços continuem e principalmente se pode conseguir um documento onde a mudança de paradigmas na educação seja realidade.

Ou seja, que esse “modo de se produzir” na educação, como se fosse uma fábrica do século XIX não seja mais mandatório. Que o clima de exigência por um país digno de se viver que vemos nas manifestações e na insatisfação com a Copa (tratada diferente de serviços públicos básicos) seja catalizador para que meios educacionais condizentes com o século XXI (e o Brasil tem muitos exemplos) sejam de fato postos em prática e sejam as referencias para educandos e educadores.

* Gesley Fernandes é graduado em Administração Pública pela Fundação Getúlio Vargas – São Paulo. É pesquisador e trabalha com educação.

UOL Educação

 

 

 

Imprimir