Por administrador em 27/nov/2014

Alunos do CEF 11 do Gama produzem vídeo para homenagear banda marcial



Banda marcial tem 15 anos e é a única na rede pública do Distrito Federal (Walter Sarça/Divulgação)

Movido pela vontade de despertar outros interesses nos jovens, Luiz Antônio Fermiado, diretor do Centro de Ensino Fundamental (CEF) 11 do Gama, decidiu criar um grupo musical na instituição. O sonho do educador era montar uma banda marcial completa, mas ele não tinha recursos financeiros para isso. “Foi um desafio, principalmente pelo pioneirismo da ideia”, explica Fermiado, que trabalha na escola há 22 anos.

No início, o grupo era formado exclusivamente por instrumentos de percussão. Depois de algum tempo, incorporam instrumentos de sopro. Hoje, quinze anos após a primeira apresentação, a Banda Marcial da CEF 11 conta com mais de 70 integrantes — entre músicos, corpo de baile e comissão de frente — e busca caminhos ainda mais inusitados. “Queremos virar uma orquestra sinfônica”, afirma o diretor.

Para homenagear a banda que é orgulho para a escola, alunos do 4º ao 8º ano do ensino integral fizeram um curta-metragem que conta a história do grupo, único na rede pública do DF. O vídeo colaborativo é parte do projeto Viveiro Audiovisual, patrocinado pelo Fundo de Apoio à Cultura (FAC), que teve sua primeira edição neste ano. Coordenador geral do projeto, o cineasta Walter Sarça explica que a ação existe há três anos, mas é a primeira vez que a produção audiovisual foi explorada. “Todos colaboraram de uma forma. Pesquisa, entrevista, edição, produção, filmagem”, explica Sarça.

Iniciado em abril de 2014, o Viveiro Audiovisual também ofereceu oficinas de horta e jardim, teatro e desenho ao longo do ano. “Queremos desenvolver a criatividade dos alunos”, diz o coordenador. O projeto também contemplou outras escolas da região: a Escola Classe 21 e o Centro Educacional 8.

Nesta quarta-feira (26/11), o CEF 11 promoveu uma mostra geral da produção dos alunos, com dois vídeos, quadrinhos, entrega de mudas para a comunidade, poesia e teatro. A banda marcial fez apresentação comandada pelo maestro Marcos Balduíno. Violonista nas horas vagas, Fermiano fica feliz com os resultados apresentados pelos alunos. “Tenho alunos que tornaram-se músicos e cantores profissionais. Há muitos talentos por aqui”, garante.

(Do Correio Braziliense)

Imprimir