Por administrador em 28/abr/2014

AL: ‘Educação em Alagoas’ é tema de debate do 1º dia da 15ª Semana Nacional em Defesa e Promoção da Educação Pública



Com o seminário “Planos da Educação como instrumento da Valorização Profissional”, que debateu a atual situação de “caos” vivida na área educacional alagoana, foi aberta na manhã desta 5ª feira (24/04), no Espaço Cultural Profª Jarede Viana, na sede do Sinteal, no Mutange, a 15ª Semana Nacional em Defesa e Promoção da Educação Pública (programação em Alagoas), organizada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) e sindicatos filiados, que tem o tema “Time valorizado vira o jogo”.

O seminário contou com a participação de companheiras/os trabalhadoras/es em educação de Maceió e do interior do estado, das redes estadual e municipais.

DSCO3202 58

Lideranças presentes
O seminário contou com a presença da presidenta da Central única dos Trabalhadores em Alagoas, sindicalista Amélia Fernandes; da representante do Fórum Permanente de Educação de Alagoas, profª Edna Lopes (que também é diretora de Assuntos Educacionais do Sinteal); do vice-presidente da CNTE, professor e sindicalista Milton Canuto (ex-presidente do Sinteal); da representantes do CEDU/UFAL, profª Maria das Graças Marinho, da representante da Secretaria de Estado da Educação (SEE), profª Ana Márcia; e também do reitor da Universidade Estadual de Alagoas (Uneal), profº Jairo Campos, que trouxeram suas idéias e avaliações quanto ao atual momento educacional no estado.

A presidenta do Sinteal, professora Consuelo Correia abriu o evento salientando a importância das atividades que serão desenvolvidas na 15ª Semana Nacional em Defesa e Promoção da Educação Pública, para envolver a categoria e todos os setores da educação e da sociedade civil organizada na luta pela melhoria da educação pública não só no Estado de Alagoas, mas no restante do país.

1º de Maio – Conclamação
A presidente da CUT/AL, Amélia Fernandes, destacou a importância do aprofundamento da discussão sobre a qualidade da educação pública alagoana e brasileira e aproveitou a sua participação para convocar as/os trabalhadoras/es em educação para participar das atividades ligadas ao 1º de Maio (Dia do/a Trabalhador/a), em Alagoas.

Educação em números
DSCO3202 38

O professor Milton Canuto, em sua palestra, expôs um panorama muito abrangente em dados e números sobre a situação da educação no Estado de Alagoas, do ponto de vista dos recursos financeiros, e também traçou um preocupante panorama quanto à gravíssima situação da educação pública e da previdência estadual em Alagoas.

“Calo no sapato”
Já o reitor da Uneal, profº Jairo Campos, ressaltou em sua fala a importância histórica do papel do Sinteal na luta contra o desmantelamento que o Estado de Alagoas – e particularmente a educação pública – vem sofrendo, salientando ser o sindicato “o maior calo no sapato do atual governo estadual”.
Campos ainda traçou um panorama da situação atual da Uneal e também falou sobre a atuação desenvolvida pelo Conselho Estadual de Educação (CEE).

“Grave carência”
Já a representante da Secretaria de Estado da Educação (SEE), profª Ana Márcia, em sua fala, admitiu a grave carência de professores/as na rede estadual [ainda não resolvida em dois mandatos deste governo, bem como a demora na chamada das/os professoras/es concursadas/os].

“Desvalorização da educação”
A profª Maria das Graças Marinho (CEDU/UFAL) também falou sobre a atual situação da educação e o perfil da universidade, principalmente na formação de professores/as, mostrando preocupação quanto à desvalorização da educação causada por governos descompromissados com a área, gerando um desestímulo de alunos na hora da escolha de cursos voltados à Licenciatura, que chegam a formar somente três alunos por turma.

“Papel do Fepeal”
Fechando o ciclo de debates do seminário, a professora Edna Lopes, representante da Fepeal, fez um diagnóstico das funções desta instituição, que, no seu entender, precisa ser fortalecida para desempenhar bem o seu papel, que envolve a proposição de ações voltadas à educação pública, “acompanhando, por exemplo, o desenvolvimento dos planos estaduais de educação e apontando políticas efetivas para a área”.

Preocupação da base
Com a participação da base, o debate demonstrou nas intervenções das/os companheiras/os da base a grande preocupação em relação à precarização do trabalho na educação, a falta de valorização e estímulo para a procura de cursos de licenciatura e a situação sem controle da Previdência Pública tanto do Estado quanto dos municípios, com gestões sem transparência e sem planejamento.

Compromisso do Sinteal
A diretoria executiva estadual deixa claro que todas as contribuições dadas pelos/as palestrantes e pela plenária no seminário serão a base da construção de um documento que o Sinteal se propõe a elaborar com efetivas propostas objetivando a melhoria da educação pública em Alagoas e a reestruturação da Previdência pública, reafirmando, assim, o compromisso do sindicato e das/os trabalhadoras/es em educação de lutar para retirar Alagoas do caos em que foi mergulhado, entre outros fatores, pela omissão política de seus governantes.

O documento será entregue aos futuros candidatos ao Governo do Estado nas próximas eleições, com o sentimento de que todos aqueles que estão na corrida para garantir a candidatura tenham compromisso, consciência e a devida e necessária responsabilidade para com o Estado de Alagoas, sua população e, particularmente, a educação a que esta tem direito.

Imprimir