Toffoli manda notificar Weintraub por ter chamado a UNE de “máfia”

Ao anunciar lançamento de carteirinhas digitais, ministro disparou ofensas contra entidade

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, mandou notificar o ministro da Educação, Abraham Weintraub, para que apresente explicações, caso queira, sobre declarações ofensivas à União Nacional dos Estudantes (UNE).

A decisão de Toffoli é de 27 de dezembro e atende a um pedido da própria UNE, que moveu uma interpelação judicial contra Weintraub no STF após o ministro acusar a entidade de ser uma “máfia”. A fala ocorreu durante anúncio da data de lançamento das carteirinhas digitais pelo MEC.

“Por que algumas pessoas são contra a carteirinha digital? Porque a UNE ganha 500 milhões por ano fazendo isso”, disse, na ocasião. “A gente vai quebrar mais uma das máfias do Brasil, tirar 500 milhões das mãos da tigrada da UNE.”

O prazo para que o ministro se explique é de 15 dias. O despacho é da ministra Cármen Lúcia, relatora da petição no STF. Sua ordem de emissão de mandado de notificação é de 18 de dezembro. Procurado por CartaCapital, o MEC não ainda não se pronunciou.

A criação da carteirinha digital, chamada pelo MEC de “ID Estudantil”, foi uma clara ofensiva do governo do presidente Jair Bolsonaro em relação ao movimento estudantil. Em 6 de setembro de 2019, o presidente disse que a nova lei evitaria que “certas pessoas promovam o socialismo”.

Em entrevista para CartaCapital em dezembro, o presidente da UNE, Iago Montalvão, afirmou que o objetivo do MEC é desmobilizar a rede do movimento estudantil.

“A UNE é uma entidade histórica que sempre fez oposição a esse projeto privatista e neoliberal da educação. A gente sabia que sofreria alguma perseguição, mas isso tomou outra proporção depois das manifestações recentes”, avaliou

Conteúdo reproduzido do site da revista Carta Capital

Skip to content