Toda solidariedade às vítimas da creche de Santa Catarina

Mais um ato motivado pelo ódio deixou um rastro de sangue e tristeza pelo Brasil. Durante a manhã dessa terça-feira (4), um jovem de 18 anos entrou em uma creche localizada na cidade de Saudades, oeste de Santa Catarina, e matou três crianças e duas funcionárias: uma professora e uma agente educacional. O Sinpro se solidariza com os familiares das vítimas, funcionários(as) da creche e com todos(as) que presenciaram este crime brutal e covarde.

Infelizmente esta não foi a primeira vez que fatos como este acontecem em escolas ou em lugares públicos. A motivação, porém, sempre é a mesma: revolta, ódio e intolerância. O respeito ao ser humano, independente de cor, raça, credo, opção sexual ou direcionamento político, deve ser uma constante na vida de cada um, ponto que o Sinpro sempre levantou e tem levantado, a exemplo dos concursos de redação que o sindicato tem promovido ao longo dos anos.

A segurança nos arredores e dentro das próprias unidades de ensino, não só do Distrito Federal, mas em todo o Brasil, é outra preocupação. A falta de segurança, aliás, é uma das maiores reclamações de professores(as), orientadores(as) educacionais, de funcionários(as) e da própria comunidade escolar. Sem o policiamento adequado na porta das escolas, crimes, como este, infelizmente podem acontecer, colocando a vida de educadores(as) e estudantes em risco.

Diante de uma tragédia tão grande, com a perda da vida de crianças tão jovens e de profissionais que exerciam suas funções com tanto carinho, além de lamentar é preciso reivindicar dos governos e dos governantes políticas públicas de segurança e lutar por uma escola sem violência. Agora, fica a lembrança e a saudade.