Seguno OIT, coronavírus destruírá até 25 milhões de empregos

Esta semana, a Organização Internacional do Trabalho (OIT) alertou que se os governos não agirem rapidamente para proteger os trabalhadores dos impactos da pandemia do novo Coronavírus, uma crise econômica global poderá desencadear demissões em até 25 milhões de empregos em todo o mundo.

Com base no estudo dos impactos da pandemia sobre o crescimento econômico global em diferentes cenários, a OIT estima que o índice de desemprego aumentaria entre 5,3 milhões (cenário “baixo”) e 24,7 milhões (cenário “alto”), comparado  à a crise financeira global de 2008/9 que aumentou o desemprego global em 22 milhões de pessoas.

A organização explica que para barrar este processo são necessárias medidas urgentes, em larga escala e coordenadas. Desta maneira, é possível proteger os postos de trabalho e estimular a economia.

De acordo com a organização, as medidas incluem a extensão da proteção social e apoio à retenção de empregos por meio de jornada reduzida ou licença remunerada, além de benefícios financeiros e fiscais, inclusive para micro, pequenas e médias empresas.

No Brasil, a crise econômica, que teve início muito antes da pandemia do Coronavírus (Covid 19), com o arrocho nos investimentos públicos instituído pelo golpista Michel Temer (MDB-SP), a partir da Emenda Constitucional (EC) nº 95, pode se agravar ainda mais com a ascensão da doença.

O Secretário de Relações Internacionais da CUT, Antonio Lisboa explica que há preocupação dos movimentos sindicais em relação aos impactos do Coronavírus no país. “A situação é extremamente grave, pois aqui, além de enfrentarmos uma pandemia, vivemos em um governo neoliberal que ao invés de investir em políticas públicas de incentivo ao emprego, retrocede nos direitos. Isso é preoucupante. Precisamos juntar esforços pra combater a pandemia e, além disso, cobrar dos governantes medidas de proteção ao trabalho e garantir que os custos dessa pandemia mais uma vez não recaia sobre a classe trabalhadora”, concluiu.

Com informações Brasil 247

Skip to content