Segunda Turma do STF derrota Fachin e julga suspeição de Moro

notice

O ministro Edson Fachin do Supremo Tribunal Federal (STF) tentou impedir, na tarde desta terça-feria (9), o julgamento da suspeição do ex-juiz Sérgio Moro, mas foi derrotado por 4 a 1 por seus colegas da Segunda Turma da Corte.

O presidente da Segunda Turma, Gilmar Mendes, já havia anunciado que pautaria o tema, quando Fachin recorreu ao presidente do STF, Luiz Fux, pedindo que determinasse o adiamento do julgamento.

Fachin alegou que não havia mais motivo para o julgamento em razão da decisão que anulou as condenações impostas pelo então juiz da 13ª Vara da Justiça Federal de Curitiba.Fuz não atendeu o pedido de Fachin e o julgamento de Moro está em andamento.

Dos cinco ministros da Segunda Turma, só Fachin foi contra manter o julgamento. Votaram para continuar a análise da ação Gilmar Mendes, Kassio Nunes Marques, Ricardo Lewandowski e Cármen Lúcia.

De acordo com análise de juristas e advogados, Fachin anulou as condenações de Lula no âmbito da Operação Lava Jato para reduzir danos. O ministro, que é relator da operação, sempre votou a favor da República do Paraná – Moro e os procuradores liderados por Deltan Dallagnol, que foi chefe da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba.

A decisão tomada nesta segunda-feira (8), então, teria sido para preservar as investigações e tirar o foco de Moro. A estratégia de Fachin surprendeu  ministros, integrantes, juristas e até a direção do PT.

Fonte: CUT

Skip to content