[SC] Assembleia Estadual confirma: é 17,54% ou greve!

2020 02 18 giro sc
O magistério estadual catarinense esteve na tarde de hoje, 18, reunido em assembleia estadual para deliberar os rumos da luta pela campanha salarial 2020, que tem como pauta os reajustes do Piso de 2019 (4,17%) e 2020 (12,84) na carreira, reajuste do vale alimentação para R$24,00 (atualmente R$12,00), desde 2011 sem qualquer aumento, e contra a reforma da previdência do comandante Moisés.

Ontem, 17, o governo do estado, representado pelo Secretário de Educação Natalino Uggioni, apresentou uma proposta vergonhosa a categoria: 3,14% parcelado (maio e novembro), o que volta a compactar a carreira, já achatada, do magistério.

O SINTE-SC apresentou tal proposição na assembleia que indignada, por unanimidade, deliberou estado de greve. A próxima assembleia já está agendada para o dia 18/03, quando o magistério irá deflagrar a greve, caso o governo não atenda as reivindicações do reajuste do Piso na carreira.

O SINTE reafirma que o Comandante Moisés continua fora da Lei, ao não pagar o Piso na carreira aos(as) trabalhadores(as) em educação. A partir de agora o trabalho será de conscientização e mobilização da categoria por todo estado, através de visitas as escolas, atos e campanhas realizadas pelo SINTE Estadual e regionais, na construção da greve e da luta por valorização e respeito ao magistério. Somente a nossa luta, fará o governo reconhecer o que deve, e quitar sua dívida de 17,54% com o magistério catarinense.

Confira os encaminhamentos da assembleia:

– Pagamento do reajuste do piso na carreira (17,54%) e contra a reforma da previdência,
– Outdoors cobrando do governo o pagamento do reajuste do piso na carreira,
– Acompanhar todas as agendas do governador e secretário de educação, nas regionais, cobrando o atendimento de nossa pauta,
– Mobilização permanente na ALESC contra a reforma da previdência. Quando tiver votações, serão convocados atos e mobilizações,
– Realizar atos e mobilizações nos locais e cidades de residência dos(as) deputados(as), cobrando voto contra a reforma da previdência e reajuste do piso na carreira,
– Elaborar material com os principais pontos que deverão ser trabalhados contra a reforma da previdência,
– Elaborar material de divulgação e mobilização, comparando as tabelas salariais com a proposta do governo e com proposta do sindicato, (reforçar a divulgação do material já confeccionado),
– Fazer um levantamento sobre os problemas no Fundeb, para subsidiar a participação dos representantes no conselho estadual de acompanhamento do Fundeb,
– Usar todos os espaços de mobilização regional para dar ênfase a nossa pauta salarial
– Fortalecer e participar das mobilizações do #8M
– Manter estado de greve até dia 17/03 e Greve a partir de 18/03, se o governo não pagar o reajuste do piso na carreira,
– Assembleia Estadual no dia da Greve Geral da Educação, 18/03/2020, (caso houver encerramento da negociação por parte da SED, poderá ser antecipada a data da assembleia estadual),
– Desafiar o governador a passar um mês com o salário de ACT.
Moções:
– Apoio a greve dos petroleiros e Trabalhadoras(es) em Educação do Piauí e Minas Gerais,
– Moção de repudio ao governo do Chile por estar perseguindo a ativista Maria Rivera.

(Sinte-SC, 18/02/2020)

Skip to content