Professoras fazem ato contra violência em jardim de infância do Recanto das Emas

A equipe de professoras e orientadoras educacionais do Jardim de Infância da 603, do Recanto das Emas, realizou, nesta terça-feira (3), um ato de desagravo, contra a violência, em favor da paz e em apoio a toda a equipe da escola.
“Esse ato foi realizado com a comunidade escolar para chamá-la à responsabilidade do diálogo, do respeito, da valorização do profissional de educação e também para alertá-la do fato de que a gente não pode aceitar nenhum tipo de violência dentro da escola”, informa a diretora Fabíola da Costa Farias.
Toda a equipe de escola se vestiu de branco para esse ato. Profissionais da educação de outras escolas aderiram à manifestação e se vestiram de branco em favor da paz. A diretoria colegiada do Sinpro-DF foi representada pelos diretores Francisco Lima, da Secretaria para Assuntos Jurídicos, Trabalhistas e Socioeconômicos, e Solange Buosi, da Secretaria de Organização e Informática.
A supervisora e a professora dos filhos da agressora foram afastadas e estão de licença médica em virtude das ameaças e da violência que essa mãe tem promovido na escola desde o início do ano e que culminou com lesões corporais e outros problemas, na quinta-feira passada (28/9). A violência tornou-se denúncia na delegacia e registro da ocorrência policial.
“O problema é que desde o início do ano a direção da escola vem contornando a situação para não afetar as crianças, mas, nesta quinta, atingiu o insuportável e o inadmissível. Essa mãe adentrou o espaço escolar e partiu para cima da equipe, provocando lesão corporal em uma professora, em uma supervisora e em duas profissionais de serviços gerais”, conta a diretora.
Ela disse que, a princípio, a Regional de Ensino tratou o caso como algo corriqueiro e passageiros e não o classificou com a devida gravidade. Todavia, essa e outras ameaças da mãe agressora acabaram por instaurar um clima de medo na escola. “Por causa das ameaças, estou com dois afastamentos por questões psicológicas”, afirma Fabíola.
Francisco disse que a Regional já está tomando as providências e irá transferir os filhos da agressora para outra unidade de rede pública de ensino. “Essa mãe criou uma situação tensa. Uma professora desmaiou ao assistir à cena de violência com a colega docente na semana passada. Não há mais condições de essa mãe permanecer na escola”, assegura o diretor do Sinpro-DF.
“O ato realizado nesta terça teve o objetivo de dialogar com a comunidade sobre a cultura de paz, do papel dos professores, o respeito a toda a equipe de profissionais da escola”, diz Francisco.
Confira as fotos:

Skip to content