Peça aborda fatos políticos que marcaram o Brasil a partir da ditadura

Após nove anos, a peça Quem fez 68 não faz 69 volta a entrar em cartaz. Nos dias 20, 21 e 22 de outubro, sempre às 20h, a companhia teatral aborda, com humor, os significados dos fatos políticos, sociais e culturais que marcaram o Brasil a partir da promulgação do AI 5, em 1968, durante a Ditadura Militar,  caracterizando “um golpe dentro do golpe”. As apresentações serão feitas na Sala Conchita de Moraes do Teatro Dulcina (CONIC).
O texto tem uma dramaturgia dinâmica, bem humorada, construída de depoimentos de personagens militantes do período em que foi instaurado o AI 5 em nosso país. Faz uma revisão da história brasileira das últimas décadas, a partir dos anos 1960, dando oportunidade para que os protagonistas de 1968 expressem autocrítica e análises comparativas entre os ideais emblemáticos daquele ano e ideias representativas do pensamento contemporâneo.
Mais informações pelos telefones 99154-7383, 98221-3618 e 3382-3963.

Skip to content