Mercadante exalta Paulo Freire e valorização docente

Em entrevista à Tv 247, nesta quinta-feira (15/10), dia dos professores, o ex-ministro e presidente da Fundação Perseu Abramo, Aloizio Mercadante, destacou a importância do educador Paulo Freire, patrono a educação brasileira, e a necessidade de valorização da carreira docente. “Assim como os 60 milhões de estudantes que estão sofrendo dentro de casa sem conviver com os amigos e colegas, tenho certeza  de que os cerca de 3 milhões de professores e professoras do Brasil estão ansiosos para voltar para a sala de aula, mas querem fazer isso com prudência e com segurança”, disse.

Para Mercadante, as condições de isolamento social geradas pela pandemia da Covid-19 reafirmaram a importância do papel do professor na sociedade. “Eu acho que essa experiência também mostra para gente o quanto é importante, o quanto é nobre, o quanto é indispensável o papel do professor, que precisa ser mais valorizado e mais reconhecido. E a educação não pode ser tratada como vem sendo tratada pelo governo Bolsonaro”, afirmou.

O ex-ministro também relembrou a prioridade e centralidade que a educação tinha nos governos Lula e Dilma. “A educação foi uma grande prioridade estratégica a ponto de nós termos, depois do governo Lula, em que já houve avanços espetaculares, colocado o lema do governo “Brasil, pátria educadora”, apontando que o fim da pobreza era só um começo”, explicou.

“Houve uma grande valorização dos professores. O piso salarial, que foi construído nos nossos governos junto com o Fundeb, o grande instrumento de financiamento e de redução das desigualdades na rede escolar, aumentou 49% em termos reais acima da inflação, e ainda é muito pouco, porque é um salário muito baixo para atrair bons profissionais e reconhecer a importância dessa atividade”, destacou. O ex-ministro também mencionou a importância da reformulação da carreira docente na educação superior, feita durante os governos do PT, que estipulou a obrigatoriedade de doutorado para ingresso de novos professores na universidade pública federal e que definiu critérios de promoção por mérito e titulação na carreira.

Além disso, dentre as ações destacadas por Mercadante como relevantes na educação durante os governos do PT estão: conceber a educação como um todo sistêmico (da educação infantil ao pós-doutorado), o aumento de recursos para a área com crescimento de 207% acima da inflação, o apoio a educação infantil, especialmente ao processo e alfabetização, a criação dos Institutos Tecnológicos Federais e a ampliação da rede federal de educação superior. Mencionou ainda programas como o Pronatec, o Ciência Sem Fronteiras, o novo Enem, o Plano Nacional da Educação, a aprovação da Lei de Cotas e os royalties do petróleo para a educação.

No fim do programa, Mercadante relembrou o convívio que teve com o educador Paulo Freire, quem ele classificou como uma pessoa espetacular e generosa, especialmente no final da década de 1970. “Primeiro que o Paulo Freire dedicou a vida dele à alfabetização de adultos e dizia que a educação tinha que ser a pedagogia dos oprimidos, a pedagogia da liberdade, educar era um ato de libertar, de gerar emoções. Ele olhava o trabalhador como sujeito histórico, como agente transformador. Então, a forma de abordagem dele era uma forma transformadora, era uma forma revolucionária, sendo ele o intelectual em ciências humanas mais citado do Brasil e o patrono da educação. Viva Paulo Freire e, como ele dizia, vamos esperançar”, concluiu.

Fonte: Fundação Perseu Abramo

Skip to content