Estudantes do CED 04, do Guará I, escrevem seus próprios livros infantis e infanto-juvenis

Os livros foram escritos com liberdade de expressão, criatividade e técnica. Quem pode dizer que passou pelo Ensino Médio tendo escrito um livro? Os(as) estudantes de Língua Portuguesa do Centro Educacional 04, do Guará I, podem.

Como parte dos conteúdos de Língua Portuguesa, o ensino de literatura Brasileira e Portuguesa consiste em mostrar as principais escolas e gêneros literários, principais autores e suas obras, mas é sabido que, com a internet, redes sociais, TV a cabo e séries o estilo de leitura e escrita mudou muito e a procura por livros impressos diminuiu. A questão é se os jovens não gostam de ler ou não foram seduzidos pela leitura da literatura?

O projeto dos livros de autoria própria surgiu da observação do talento de alguns alunos para o desenho e da criatividade para contarem histórias. Já que o ensino de literatura está no programa, por que além de lerem não escrevem seus próprios livros, foi o que pensou a professora.

Levando em consideração a falta de recursos, foi dada total liberdade de criação para a confecção dos livros, inclusive podendo ser escritos à mão. A escolha do gênero também foi livre. Tem romance, ficção, suspense, autobiográfico, drama, história em quadrinhos, verdadeiras obras literárias que, em alguns casos, mereciam ser publicadas por alguma editora.

Não é a primeira vez que alunos do CED 04 escrevem sua própria história por meio de um livro. Em anos anteriores foi publicada, pelos professores da escola, uma coletânea de poesias escritas por estudantes do ensino fundamental e médio.

Os livros dos estudos do ensino médio serão lançados pela manhã, nos dias 17 e 18 de junho, na Biblioteca da escola, que fica próxima a estação de Metro Feira, Guará I. No evento, os autores estarão com seus livros contando como criaram suas histórias.

Visitas à biblioteca

O início do projeto consistiu em levar as turmas à biblioteca, para incentivar a fazer a carteirinha, para que os alunos escolhessem um livro do gosto deles e que lessem pelo menos a sinopse e o início dos livros para verem os estilos diferentes de narrações e gêneros. A partir daí muitos alunos fizeram a carteirinha e pegaram os livros que tinham escolhido para apenas ler a sinopse e a introdução.

O próximo passo foi pedir que escrevessem um livro individual, de dupla ou no máximo de três, com liberdade total de criação. Talento eles e elas têm de sobra, só precisam de incentivo.

Skip to content