Estudante de escola do campo é premiado com medalha de ouro na Obmep 2018

Everton Mendes de Almeida, 14 anos, é um dos 26 estudantes brasilienses que ganharam medalha de ouro na 14ª Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas e Particulares (Obmep) 2018.
Estimulado pelos pais, pela professora aposentada Rosa e por toda a equipe de docentes do Centro de Ensino Fundamental (CEF) Rio Preto – uma escola do campo da rede pública do Distrito Federal, situada no Núcleo Rural Rio Preto –, o estudante do 9º Ano disputou conhecimento com 18 milhões de participantes. Só no DF, 239.962 estudantes de escolas da rede pública e, mais 10.521, da rede privada, inscreveram-se para participar olimpíada.
Ao todo, 364 escolas participaram, entre públicas e privadas. A medalha de ouro foi conquistada por 23 estudantes da rede pública e, por três, da rede privada. A de prata, por 59 estudantes da rede pública e, seis, da privada; e, a de bronze, por 107 estudantes da rede pública e, 21, da rede privada.
Everton diz que, agora, pretende estudar mais ainda para disputar o ouro internacional e ingressar no curso de engenharia mecatrônica da Universidade de Brasília (UnB).“O ouro sempre foi meu sonho. Achei que nunca conseguiria, mas, finalmente, consegui. Está sendo uma experiência incrível”, declara o estudante.
Nos dois últimos anos ele ganhou medalha de bronze e, em 2015, quando ainda era estudante do CEF 03, de Planaltina, recebeu uma menção honrosa em matemática. O irmão dele, Renan, de 13 anos, também também estudante do CEF Rio Preto, recebeu menção honrosa na Obmep este ano.
Nas olimpíadas da própria escola, Everton ganhou outras premiações. Ele gosta de enfrentar desafios e disse que a parte mais difícil da prova de matemática deste ano foram as questões sobre análise combinatória. “Tem muitos assuntos da matemática que eu nunca estudei na escola, mas faço parte do PIC/UnB, e, nele, aprendi isso”, conta.
O Programa Institucional de Iniciação Científica Ensino Médio (PIC-EM), da UnB, é oferecido a todos(as) os(as) medalhistas da Obmep. O estudante também participou da Olimpíada Brasileira de Matemática (OBM) e foi classificado na 93ª posição. Os 300 estudantes selecionados pela Obmep são inscritos na OBM, uma olimpíada nacional que classifica os melhores para participarem da Olimpíada Internacional de Matemática.
“O CEF Rio Preto é uma escola do campo que atende ao Núcleo Rural Rio Preto e, há 5 anos, atende também a estudantes do 6º ao 9º ano, a comunidade Rajadinha. “Everton não é dedicado somente em matemática, mas em todas as outras disciplinas. É um estudante exemplar. A professora Rosa descobriu a afinidade dele pela matemática e investiu. Só que, para isso, o estudante tem de querer”, comenta a diretora Filomena Sousa Caldas, mais conhecida como Mena Caldas.
Nilza Cristina G. dos Santos, diretora do Sinpro-DF e da CUT Brasília, ressalta que “apesar do desmonte da educação pública, do descaso e dos ataques aos profissionais da educação, e o exemplo claro disso é a Lei da Mordaça, tudo com vistas a sucateá-la para uma posterior privatização, a escola pública é capaz de educar para o conhecimento e de formar cidadãos para o Distrito Federal, sem perder a qualidade”.
E acrescenta: “Ela oportuniza as chances que esses estudantes jamais teriam, mesmo com a escola e os profissionais da educação sem a valorização que deveriam ter, há resultados excelentes como este. Isso mostra que a maioria dos professores e das professoras faz questão de trazer para a escola pública do DF um ensino gratuito, laico, de qualidade referenciada, com oportunidade para todos”,
 

Skip to content