Covid-19: chegou a hora de vacinar idosos com a 4ª dose

Numa campanha permanente em defesa da vida e contra o negacionismo, o Sinpro-DF informa à categoria que professores(as) e orientadores(as) educacionais com 60 anos ou mais, aposentados(as) ou ativos(as), já podem tomar a quarta dose da vacina contra covid-19.

 

A quarta dose da vacina contra covid-19 está disponível nas unidades de saúde e, neste primeiro momento, será aplicada em pessoas idosos(as) com 60 anos ou mais para reforçar a imunização, afinal, diferentemente do que dizem os governos federal e distrital, a pandemia de covid-19 não acabou. A Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal (SES-DF) informa que é necessário ter tomado a dose de reforço há pelo menos 4 meses.

 

Os(as) usuários(as) devem comparecer com documento de identidade com foto, CPF e o cartão de vacina no qual haja o registro da segunda dose. Se o cartão for extraviado, será realizada busca nos sistemas de registro. É obrigatório o uso de máscara para a vacinação.

 

Apesar de os governos Jair Bolsonaro (PL) e Ibaneis Rocha (MDB) publicarem decretos abolindo máscaras e liberando geral para aglomerações, é importante a categoria saber que a crise sanitária não acabou e que é necessário o uso de máscara, higienização das mãos, manutenção da ventilação em locais fechados, evitar aglomerações e usar máscaras, sobretudo em locais fechados.

 

O governador do DF, por exemplo, continua aplicando a política negacionista do Palácio do Planalto. A prova disso é que um dia depois de a própria SES-DF anunciar um aumento exorbitante da taxa de transmissão do Distrito Federal, ele revogou, na manhã desta terça-feira (10/5), o decreto que declara estado de calamidade pública em decorrência da pandemia da covid-19.

 

O texto, publicado no Diário Oficial do DF (DODF), suspende a Determinação nº 40.924, de 26 de junho de 2020. No entanto, a taxa de transmissão do vírus voltou a crescer e chegou a 1,12, nesta segunda (9/5). O índice indica alta na contaminação e mostra que cada 100 pessoas podem contaminar outras 112 – segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS). Até as 16h25 dessa segunda (9), a taxa de ocupação dos leitos de UTI para pacientes com Covid na rede pública estava em 47,22%. Do total de 36 leitos, 17 estavam ocupados e 19 disponíveis. Na rede privada, até as 11h55, 53,70% das vagas estavam ocupadas.

 

A diretoria colegiada do Sinpro-DF afirma que é preciso manter os cuidados. Pedro Rodrigues Curi Hallal, professor universitário, educador físico, epidemiologista, ex-reitor da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), de 2017 a 2020, e editor-chefe da revista científica Journal of Physical Activity and Health, postou, recentemente, nas redes sociais que “a mortalidade por Covid19 no Brasil é 5 vezes maior do que a média mundial e a culpa é de quem negou a pandemia, tratou os brasileiros feito rebanho, gastou com cloroquina e tentou desacreditar vacina”. 

 

 

Assim, para evitar outro surto e nova tragédia sanitária, o Sinpro aconselha a manter os protocolos e a evitar contágio. Há uma semana, o biólogo Átila Iamarino postou em suas redes sociais a orientação de que todos e todas devem se vacinar com as doses de reforço. Iamarino é biólogo, doutor em microbiologia e pesquisador brasileiro, notório por seu trabalho de divulgação científica no canal do YouTube denominado Nerdologia, que tem mais de 3 milhões de inscritos. Ele informou que novas subvariantes da variante Omicron do novo coronavírus estão sendo detectadas na África.

 

“Novas subvariantes da Omicron (BA.4 e BA.5) estão sendo detectadas na onda que começa agora na África do Sul. E, de acordo com um estudo recente, elas são capazes de escapar da imunidade da infeção pela Omicron original, do final de 2021. E esse escape é maior entre não vacinados. Ou seja, quem teve Omicron pode ser infectado de novo pelas novas linhagens. Tome sua dose de reforço. Estudo: https://doi.org/10.1101/2022.04.29.22274477

 

Diante da experiência nefasta e dramática vivida pelos brasileiros nos últimos 2 anos, na pandemia de covid-19, com o governo federal adotando um “negacionismo de ocasião” para desviar dinheiro público e levar adiante a política econômica neoliberal, que transformou a crise sanitária no País em tragédia mundial, que reimplantou a política da fome, do desemprego e da privatização de bens públicos; e que converteu o Brasil em pária internacional, o Sinpro orienta a categoria a se vacinar com a quarta dose e pede a quem tem familiares idosos a levá-los para tomar a vacina e reforçar a imunização.