Bloco da Educação é destaque no carnaval de 2020

A educação pública fez sucesso no carnaval deste ano em todo o País. Se em São Paulo, a Escola de Samba Águia de Ouro se consagrou campeã com uma homenagem ao educador Paulo Freire, patrono da educação brasileira, nas demais unidades da Federação, o sucesso ficou por conta do lançamento do Bloco da Educação.

Criado pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), o Bloco da Educação saiu às ruas, em todo o País, para protestar e denunciar os ataques à educação pública e gratuita. No Distrito Federal, o bloco participou do evento, também lançado neste carnaval, denominado Bloco da Balbúrdia.

O Bloco da Balbúrdia, por sua vez, reuniu integrantes dos movimentos sindical, estudantil, docente e social numa proposta nova: a de protestar com alegria. O evento lotou, no sábado (22/2), o Canteiro Central. Com o abadá do Bloco da Educação, centenas de foliões dançaram, cantaram, protestaram e denunciaram os desmandos na educação por meio de marchinhas e músicas apresentadas por DJs, pelas Escolas de Samba Aruc e Acadêmicos da Asa Norte. A festa carnavalesca contou também com a apresentação de grupos musicais, como 7 na Roda e os DJs Mamacita e Paula Torelly.

Se nas universidades a palavra “balbúrdia” foi ressignificada para desmentir o discurso do ministro da Educação, Abraham Weintraum, e do Presidente da República, mostrando a força da produção acadêmica e da pesquisa de ponta desenvolvidas nas universidades públicas brasileiras, bem como o valor da educação pública e gratuita do ensino básico, no carnaval a “balbúrdia” veio para denunciar os ataques do governo Bolsonaro à educação.

Professores e estudantes transformaram o conceito da palavra “balbúrdia” em objeto de protesto na folia de 2020. Com um imenso boneco de Paulo Freire, o Bloco da Educação, que saiu dentro do Bloco da Balbúrdia, lotou o Canteiro Central no sábado de carnaval e teve até apresentação de duas marchinhas próprias.

Clique no link a seguir e confira as fotografias do carnaval e, ao final do texto, a letra das marchinhas:

 

Confira a letra da marchinha “Escória”, de autoria de Jairo Mendonça, diretor do Sinpro-DF e músico; e da marchinha “Com Paulo Freire na avenida”, de autoria do músico Renato Matos e do professor aposentado José Sóter.

COM PAULO FREIRE NA AVENIDA
(Renato Matos e José Sóter)

Com Paulo Freire na avenida
Abram alas por favor, olê, olê, olá!!!
Esse é o Bloco da Educação

Que agora pede licença pra passar
Vamos pra rua com Paulo Freire

Tocar um frevo com pandeiro e ganzá

Laicidade, ensino público e gratuito
É o que nos leva pra rua e cantar

Vamos pra rua com Paulo Freire
O Bloco da Educação pede licença pra passar

ESCÓRIA
(Jairo Mendonça)
Escória, escória da nação
Quem vocês pensam que são para ataca o futuro do Brasil
A nossa soberana Educação?

Refrão
Escória, escória, escória
Nem ferrando vocês entram para a História
Escória, escória, escória
Nem ferrando vocês entram para a História

Nós somos a educação pública
Ousadia e coragem pra lutar
Utopia e esperança
Do verbo esperançar

Refrão…

A cobra bolsones mandou
E o Iganeis atendeu
Trocar professor por pistola
Militarizar nossas escolas

Refrão….

O seu legado e saber
Do nosso patrono querido
Vocês não são nem o cheiro
Do cocô do cavalo do bandido

Refrão

Skip to content